Proposta do Programa

O Programa de Pós-Graduação, stricto sensu, em Estudos da Tradução, da Universidade Federal de Santa Catarina, é o primeiro a ser criado no Brasil, em setembro de 2003. Seu principal objetivo é formar profissionais competentes para o exercício das atividades de pesquisa, tradução propriamente dita, e magistério superior na área de tradução.

A PGET, que foi praticamente gerada entre a comissão editorial da revista Cadernos de Tradução, assume então este periódico como sua publicação, garantindo-lhe seu nível de seriedade e competência tradicional.

Palavras-chave:

Tradução; teoria; crítica; história; literatura traduzida; lexicografia e ensino de línguas estrangeiras; estudos da interpretação; Libras.

PROJETO E HISTÓRICO PGET

Histórico

A proposta para a criação do programa de Pós-Graduação stricto sensu em Estudos da Tradução apoia-se no desenvolvimento geral da área da tradução, que nos últimos anos experimentou um grande crescimento no Brasil e em outros países. O curso de Letras da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), parte integrante dessas evoluções, não ficou alheio a este processo. No Centro de Comunicação e Expressão (CCE), a tendência para os estudos da tradução intensificou-se e concentrou-se com um número crescente de pesquisas, publicações e titulações na área.

Os docentes que integram esta proposta já conduzem trabalhos de pesquisa e ensino em nível de Graduação e Pós-Graduação na área da tradução. O novo programa dará reconhecimento institucional a este esforço e melhores condições para ampliar e aprofundar esse trabalho, até então realizado de forma segmentada em diferentes programas de Graduação (Letras-Inglês, Letras-Alemão, Letras-Espanhol, Letras-Italiano, Letras-Francês, Letras-Português) e Pós-Graduação (Letras-Inglês, Lingüística e Literatura).

A criação do novo programa de Pós-Graduação em Estudos da Tradução é, por um lado, decorrente da procura dos alunos por uma qualificação especializada em tradução, por outro lado, do fato de os cursos afins acima mencionados, que hospedam os docentes da área da tradução, estarem sofrendo pressão dos órgãos de fomento por ser esta área minoritária em cada um daqueles programas, com um ou dois docentes em atuação, o que não justificaria suas respectivas linhas de pesquisa, e prejudicaria os programas nas avaliações da CAPES.

A nova Pós-Graduação em Estudos da Tradução incorporará os projetos e os núcleos que lhe deram origem. Entre estes, pode-se citar a revista Cadernos de Tradução (ISSN 1414-526X) (publicada anualmente desde 1996, semestralmente desde 2000), a coleção de Antologias Bilingües de Textos Clássicos sobre Tradução (em 2001, foi editado o volume 1, bilíngüe, português-alemão, ISBN 85-88464-01-2) e o Núcleo de Tradução (NUT), implantado no CCE em 1999. Os Cadernos de Tradução representam um reconhecido forum nacional e internacional da discussão de pesquisas na área de Estudos em Tradução com participação de cerca de 30% de pesquisadores estrangeiros, tanto no Conselho Consultivo quanto entre os autores de artigos. Em 2001, os Cadernos de Tradução foram avaliados no Qualis com conceito B e constam na indexação da UMIST (2001) e do MLA (2002). O Núcleo de Tradução reúne 12 (doze) pesquisadores de dois Departamentos da UFSC – Departamento de Língua e Literatura Vernáculas (DLLV) e Departamento de Línguas e Literaturas Estrangeiras (DLLE) -, todos já atuantes em programas de Pós-Graduação, com orientações e projetos de pesquisa em andamento em Estudos da Tradução, o que vem servindo como um pólo interdisciplinar para coordenar as iniciativas existentes na UFSC e estimular outras, no contexto da discussão e da prática tradutológicas. Juntos, buscam, implementar um contexto institucional mais adaptado ao desenvolvimento de estudos com vistas à tradução (veja lista de pesquisas orientadas abaixo). Entre outras características do NUT, faz-se necessário sublinhar a preocupação com a coesão dos trabalhos da equipe, refletida nesta proposta em duas linhas de pesquisa com 6 pesquisadores cada uma, reunidas, por enquanto, em uma área de concentração única.

Em 2000, alguns docentes/pesquisadores em tradução que atuam em nível de Pós-Graduação iniciaram uma colaboração institucional com a Pós-Graduação em Lingüística da UFMG, no contexto do programa PROCAD da CAPES. O acordo prevê pesquisas na área de Estudos em Tradução, de forma interdisciplinar entre os Estudos em Tradução e a Lingüística de Corpora, com mobilidade entre os pesquisadores de dois programas, UFSC e UFMG. Estão envolvidos no projeto diferentes objetos de investigação como: (i) estudos sobre a Lingüística de Corpora, em sua interface com processos de categorização cognitiva e contextualização pragmático/política; (ii) estudos sobre o desenvolvimento da competência tradutória e de abordagens didático-metodológicas com vistas à formação de tradutores; (iii) pesquisas sobre a tradução de textos sensíveis; e, (iv) teorias pós-coloniais de tradução, entre outros.

Em 2002, foi criado na UFMG o Núcleo de Estudos da Tradução (NET) seguindo o exemplo do NUT-UFSC e fortalecendo os grupos de pesquisas das duas instituições. Atualmente, NUT e NET integram também um grupo conjunto de pesquisa no Diretório 5.0/CNPq (NUT-NET), com participação de pesquisadores da PUC – Rio, USP e UNICAMP. O pleno funcionamento do programa proposto intensificará, naturalmente, o intercâmbio entre instituições e a troca entre pesquisadores.

Além de coordenar as atividades em andamento e de incentivar ações novas, o Núcleo de Tradução estimula a interação com as áreas de ensino de Graduação e também com os cursos de Pós-Graduação da UFSC (Lingüística, Literatura, Inglês, Filosofia) que trabalham a tradução de modo menos direto. Muitos trabalhos de conclusão de curso (TCC) também mostram um encaminhamento direcionado à pesquisa na área da tradução, de forma que vêm sendo preparados candidatos em potencial a um curso de Pós-Graduação. A manifestação de interesse crescente em pesquisas envolvendo a tradução tem-se verificado nas diferentes opções de idiomas oferecidas na UFSC – português, alemão, espanhol, francês, inglês e italiano – o que, na verdade, não difere de outras instituições brasileiras.

Para encerrar, cabe salientar o extraordinário apoio institucional que a comissão que elaborou esta proposta recebeu pela chefia do DLLE (Prof. Dário Pagel), pela diretoria do CCE (Prof. Dilvo Ristoff) e pela Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação (Prof. Álvaro Toubes Prata e Prof. José Carlos Cunha Petrus). Este apoio manifestou-se em encorajamento e apoio moral bem como assessoria e orientação técnica e na disponibilização de recursos necessários como um espaço físico permanente equipado para a comissão e o novo programa.

Justificativa

Parte do que se publica e se difunde pelos meios de comunicação no país, resulta, direta ou indiretamente, de textos traduzidos. Toda essa enorme massa textual, que exerce profunda influência no desenvolvimento da língua e da cultura nacionais precisa ser continuamente estudada e reelaborada por profissionais qualificados. Assim, a formação de pesquisadores capazes de equilibrar a reflexão teórica, a crítica e a história da tradução bem como o suporte lexicográfico voltado ao ensino de língua, são o ponto forte deste novo programa. A formação ampla é alcançada ao longo de anos de estudo, e concretizada com alguns outros anos de experiência profissional. Em face disto, o novo programa se justifica pela otimização do processo esperado de um pesquisador qualificado para desenvolver plenamente algumas atividades ligadas à tradução.

Com isso, a implantação institucional do programa proposto será extremamente facilitada pela experiência compartilhada por seus docentes. O início das atividades do novo programa significará, pois, a continuação do trabalho iniciado há anos em outros cursos de Pós-Graduação. Este espaço institucional para a nova Pós-Graduação abrirá vias para a ampliação:

  • das publicações do Núcleo de Tradução,
  • dos projetos de pesquisa departamentais voltados à tradução;
  • dos projetos de extensão universitária;
  • dos cursos específicos voltados ao tema;
  • dos intercâmbios com universidades nacionais e internacionais;
  • dos acordos de cooperação bilateral existentes.

A qualificação como pesquisador na área de Estudos da Tradução é procurada por muitos profissionais da tradução e de Letras. Principalmente na área de Letras em combinação com Línguas Estrangeiras “minoritárias” (francês, italiano, alemão, espanhol) há uma carência para qualificação em nível de Pós-Graduação. Muitas vezes, graduados na área de Letras – Línguas Estrangeiras são levados a fazer seu mestrado em uma área afim como Lingüística ou Literatura. Ao mesmo tempo, o atual mercado exige um nível de qualificação mais elevado do que 5 ou 10 anos atrás. Por isso, há uma demanda reprimida por uma formação em nível de Pós-Graduação que considere a qualificação lingüística dos candidatos. Este interesse concerne não somente ao Estado de Santa Catarina, mas a toda a região Sul do Brasil e países vizinhos. Dos alunos de Letras da UFSC atualmente envolvidos em pesquisas na área dos estudos da tradução, mais da metade vem do interior do Estado de Santa Catarina, do Paraná, do Rio Grande do Sul e de São Paulo.

Estes fatos revelam uma forte inserção regional do Programa que, após sua implementação efetiva, constituirá uma opção importante no país para os profissionais que visam à formação e ao aperfeiçoamento para atuar em uma área premente nos mecanismos de troca de informação, experiência e conhecimento.

A integração destas atividades com a Graduação já vem ocorrendo com naturalidade e assim deverá continuar no programa que está sendo proposto. Ela acontece, em primeiro lugar, porque os docentes que atuam na Pós-Graduação o fazem também na Graduação, ou seja, não existe a figura do “professor de Pós-Graduação”. Em segundo lugar, os docentes da área dos Estudos em Tradução, geralmente, ministram disciplinas de Licenciatura e Bacharelado em português, alemão, espanhol, francês, inglês e italiano tais como Prática da Tradução, Prática da versão, Tradução Literária, Teoria da Tradução, Tradução para o Ensino de Línguas e Lexicografia, entre outros. A maioria dos docentes também orientam trabalhos de Iniciação Científica e Conclusão de Curso, que são direcionados para a área dos Estudos em Tradução, como mostrado no “histórico”. Isso tem tido reflexos na composição das turmas que ingressam para o mestrado (em Lingüística e em Literatura), nas quais participam vários alunos oriundos das Licenciaturas e Bacharelado em Letras, Educação, História e Jornalismo. Para estes estudantes, o novo programa de Pós-Graduação em Estudos da Tradução (PGET) tornou-se necessidade, pois pode responder tanto às tendências atuais da comunidade científico-acadêmica, quando à demanda do mercado. Através do novo programa da PGET, poderemos aperfeiçoar a formação de pesquisadores em tradução.

Além dos 14 docentes/pesquisadores (todos em regime de 40horas/DE) que começarão atuando na condição de pesquisadores NRD6, serão credenciados, num futuro breve, colegas que desenvolvem estudos na área da tradução e que, no momento, atuam em outros programas de Pós-Graduação ou encontram-se em formação de doutorado. Com esse aporte, a proposta de abrir desde o início a entrada para alunos em nível de Mestrado é viabilizada.

A Pós-Graduação em Estudos da Tradução tem por objetivo a formação de pessoal para o exercício das atividades de pesquisa, tradução propriamente dita, e de magistério superior na área de tradução. O profissional em tradução encontrará áreas de atuação nas instituições de ensino superior bem como em instituições culturais e editoras onde poderá contribuir para uma reflexão cada vez mais abrangente e crítica do cenário tradutológico, bem como para uma melhora significativa da produção das traduções no país. Para tradutores que já atuam no mercado de trabalho, a qualificação teórica e os horizontes das pesquisas em tradução serão uma complementação valiosa. O conhecimento deste profissional adquirido na Pós-Graduação em Estudos da Tradução favorecerá a emancipação da área de tradução.

Objetivos

 Objetivo Geral

O objetivo geral do Programa de Pós-Graduação em Estudos da Tradução é formar pesquisadores em Estudos da Tradução, além de também ter por meta, consolidar um polo institucional de referência, reunindo atividades de pesquisa no campo dos Estudos da Tradução, desenvolvidas na Universidade Federal de Santa Catarina, contribuindo, dessa forma, para a expansão e a afirmação do conjunto das atividades ligadas aos Estudos da Tradução no Brasil e no exterior.

Objetivos Específicos

  1. Proporcionar continuidade ao processo de formação de estudantes de graduação em Letras-Línguas Estrangeiras e áreas afins;
  2. Vincular pesquisas da graduação e da pós-graduação mediante projetos integrados, que permitam que estudantes da graduação (PIBIC-CNPq, PET, Núcleos de Estudos e de Pesquisa) e da pós-graduação possam atuar em conjunto;
  3. Oferecer suporte necessário ao desenvolvimento de pesquisas de ponta, mediante incentivo a pesquisadores, professores, estudantes e demais participantes do programa;
  4. Promover a criação de novos grupos de pesquisa e fóruns de discussão e de divulgação dos progressos da área;
  5. Intensificar as iniciativas existentes de cooperação nacionais e internacionais como meio de integrar os grupos de pesquisa da área;
  6. Estabelecer novos acordos de cooperação em função das demandas e das necessidades de cada momento;
  7. Fortalecer as iniciativas de outros grupos de pesquisa existentes no cenário nacional e internacional, estabelecendo um centro de referência na UFSC que possa servir como suporte para a ampliação e divulgação dos conhecimentos específicos da área;
  8. Incentivar a pluralidade de idiomas e culturas estudados, estendendo as pesquisas a línguas e culturas ainda não atendidas;
  9. Contribuir para o aperfeiçoamento das ferramentas de trabalho do tradutor;
  10. Possibilitar a elaboração de traduções anotadas de textos importantes de diferentes áreas do saber, e provenientes de várias línguas e culturas de forma a oferecer modelos de tradução que possam, eventualmente, incentivar novas práticas tradutórias entre os profissionais da área.

Perspectivas de evolução e tendências

O multilingüismo constitui uma das características da formação sócio-histórica do Estado de Santa Catarina. Esta realidade multicultural, resultante principalmente graças à forte presença da língua alemã e italiana, também sofreu um incremento na última década pela participação das línguas espanhola, inglesa e francesa – para mencionar aqui aquelas que fazem parte de nossa grade curricular –, com a instalação das trocas internacionais na área da tecnologia e da informação, sobretudo em razão do advento da globalização aliado aos progressos das redes de comunicação globalizadas. A importância das línguas estrangeiras é, atualmente, fato incontestável no cenário político internacional. Todavia, as atividades em tradução acompanham estas mudanças de modo apenas parcial, pois há uma carência concreta em termos de qualificação profissional.

As perspectivas, portanto, de desenvolvimento e aplicação dos estudos em tradução são bastante positivas e prometedoras. A busca por uma formação crítica e sólida com respeito à atividade da tradução cresce sensivelmente, e a previsão é de que, além de pesquisadores, o novo programa de pós-graduação conte também com muitos tradutores já atuantes ou em preparação para se lançarem ao mercado profissional. Acreditamos, por isso, que a médio prazo, poderemos criar uma outra área de concentração voltada mais especificamente para o mercado editorial, com disciplinas próprias, como “edição e mercado do livro, “ateliê de tradução”, “informática e tradução, “direitos autorais e tradução”, “direitos de tradução”, etc.

No momento, a proposta inclui apenas uma área de concentração com duas linhas de pesquisa. Desta forma, há uma maior concentração de esforços sem correr o risco de apresentar linhas de pesquisa ‘débeis’ que possam vir a prejudicar o programa em futuras avaliações. Dos catorze integrantes da proposta, oito atuam ou já atuaram na linha de pesquisa “Teoria, crítica e história da tradução”. A linha de pesquisa “Lexicografia, tradução e ensino de línguas” está respaldada no trabalho dos outros seis integrantes. Posteriormente, com o provável crescimento do número de docentes, poder-se-á criar duas áreas de concentração com linhas de pesquisa especializadas.