2017

01/12/2017

Mesa-Redonda Baudelaire 150 anos

O Programa de Pós-Graduação em Estudos da Tradução promove nesta sexta-feira, dia 1º de dezembro, uma mesa-redonda para homenagear os 150 anos da morte do poeta Charles Baudelaire. Os professores/tradutores Álvaro Faleiros (USP) e Lawrence Flores Pereira (UFSM) vão apresentar um debate sobre os desafios e soluções possíveis para a tradução dos versos das Flores do Mal, obra fundamental da literatura. O evento será realizado na sala Machado de Assis, bloco B do Centro de Comunicação e Expressão (CCE), às 15h. Mais informações pelo e-mail: gillesufsc@gmail.com.

_______________________________________________________________________________

27/11

Lançamento do livro “Palavra de escritor-tradutor: Marco Lucchesi”

 

Organizadores:  Andréia Guerini, Karine Simone,  Walter Carlos Costa.

Florianópolis: Escritório do Livro, 2017. 184 páginas.

Com a presença de Marco Lucchesi:

Vídeos:

Link 1: 

Link 2:

Repositório UFSC: Clique aqui

Link 3:

Google Drive PGET: Clique aqui

_______________________________________________________________________________

22/09/2017

MESA REDONDA INTITULADA: Arte e técnica na tradução literária

 

Data e Local: 22 de Setembro 2017, às 9h00, na Sala Drummond/Bloco B/CCE

Participantes:
Dr. Robert Brose Pires
Dra. Rosario Lázaro Igoa
Dr. Berthold Zilly
Dra. Martha Pulido
Mediação: Profa. Dra. Karine Simoni

Resumo:

No livro Performing Without a Stage. The Art of Literary Translation (1988), Robert Wechsler diz que “Toda arte performativa –atuação, canto, dança, interpretação instrumental– coloca o ator/ o intérprete no palco frente a uma plateia. Toda arte, isto é, exceto a tradução literária, performance de um trabalho literário em outra língua”. O livro todo é um contínuo lamento sobre a situação do tradutor literário, usando um estilo anedótico, uma narrativa que pode ser lida de maneira fluida. Porém, nas ultimas páginas, Wechsler traz um anexo, de 5 páginas, de “Leituras recomendadas”, dentre as que encontramos The Art of Translating Poetry (1988) e The Art of Translating Prose (1994) de Burton Raffel; encontramos também About Translation de Peter Newmark (1991), um manual de ensino de tradução; e até Becoming a Translator. An accelerated course (1997) de Douglas Robinson, sobre formação de tradutores. Além disso, ele inclui dos autores Rainer Schulte e John Biguenet as obras The Craft of Translation (1989) e Theories of Translation (1992); assim como, de André Lefevere e Susan Bassnett, Translation/History/Culture (1992).  Ao mesmo tempo Wechsler não esquece de mencionar The Subversive  Scribe (1991)  de Suzanne Jill Levine e Toward a Science of Translating (1964) de Eugene Nida.  Assim, Wechsler, ao final do seu livro, está sugerindo que um tradutor literário responsável deve: possuir sensibilidade artística, bem como inteligência científica,  conhecimento dos processos tradutórios através de técnicas e estratégias de tradução, interesse pela história e  a cultura, e até mesmo curiosidade pelas possibilidades das modalidades contemporâneas de tradução. Em resumo, segundo ele, o tradutor deve dominar a arte, a técnica e muito mais.

Nesta mesa redonda, propomos discutir sobre tradução literária, articulando nossas reflexões particulares com um pensamento tradutológico atual, em função de diferentes objetos.


13/10/2017

 

Palestra de Donny Correia

 “Casa Guilherme de Almeida e os Museus Literários em rede”

Museu Casa Guilherme de Almeida

 

Resumo:

O museu Casa Guilherme de Almeida, em São Paulo, é um raro museu modernista que conta com acervo de arte e objetos que pertenceram ao poeta Guilherme de Almeida (1890-1969). Neste conversa, falaremos de sua estrutura, sua forma de administração mista e sua recente entrada na Rede de Museus-Casas Literárias do Estado de São Paulo. Abordaremos, também, importantes pontos da biografia e da carreira do patrono desta instituição.

L​ocal: Espaço ​Cultural Armazém.

Quando: Sexta-feira, dia 13 de outubro.

Horário: 16 hs.

Donny Correia:

Donny Correia é poeta e ensaísta. Possui mestrado em Estética e História da Arte pela USP, onde cursa doutorado no mesmo campo de conhecimento. Publicou vários artigos e livros, incluindo Cinematographos de Guilherme de Almeida (Ed. Unesp, 2016), seleção de críticas cinematográficas escritas pelo poeta entre 1926 e 1942. Atualmente é coordenador de programação da Rede de Museus-Casas Literárias do Estado de São Paulo.


06/07/2017

 

Oficina: A tradução de FINNEGANS WAKE: uma prática colaborativa através da indeterminação

James Joyce

Quando: dia 6 de outubro, sexta-feira, às 14hs.

Sala: 307, Bloco B, CCE.

O objetivo desta oficina é a realização da tradução de alguns trechos do primeiro capítulo de Finnegans Wake. Inicialmente faremos uma apresentação mais geral sobre o último romance de James Joyce, trazendo algumas considerações a respeito de sua linguagem. No entanto, concentraremos a discussão mais especificamente no primeiro capítulo do primeiro livro. A oficina demandará dos participantes dois pequenos exercícios de tradução: alguns fragmentos do capítulo do livro serão traduzidos individualmente, porém, ao final, pretendemos ter apenas uma versão dos fragmentos traduzidos. Para se chegar a essa única versão da tradução, recorreremos à operação do acaso, à indeterminação, segundo o conceito do artista norte-americano John Cage.

Doutorandas:
Leide Daiane de Almeida Oliveira
Giovana Beatriz Manrique Ursini
Larissa Ceres Lagos

Programação do Seminário PGET/PPGI

 

Local: sala 245, prédio A, CCE.

Horário: 14:00 as 16:00

 

  • 16 de agosto

Prof. Dr. José Roberto O’Shea:

‘Traduzindo’ The Two Noble  Kinsmen de William Shakespeare e John Fletcher: problemas e soluções.

 

  • 23 de agosto

Dra. Luciane Frohlich: Os três pilares da tradução jurídica: formação, legislação e ética.

Doutoranda Sabrina Jorge: ‘Traduzindo’ relatos em texto escrito:  uma análise linguística de BOs.

 

  • 30 de agosto

Doutoranda Janaína Rosa: “Translations of Hamlet in Performance”

 

Doutorando Domingos Soares: “The Star Wars Transmedia Story in Brazil: A Translation Polysystem”.

 

  • 13 de setembro

Doutorando Tiago Costa Pereira:  Para além da sincronia: a intradutibilidade da sonoridade negra norte-americana na dublagem de Django Unchained

Doutoranda Saionara Figueiredo Santos: Das Representações Narrativas de Tradutores e Intérpretes de Libras na Região Sul: A Tradução Como Ferramenta De Transformação

 

  • 20 de setembro

Profa. Dra. Meta Zipser:  Tradução e jornalismo: uma interface (im)possível?

 

  • 27 de setembro

Doutoranda Verônica Constanty: Linguagem, mídias e multimodalidade: livros infantis ilustrados e seus produtos transmidiáticos.

Doutorando Felipe Antônio de Souza: Multimodalidade e análise do discurso na representação de bruxas em diferentes mídias

 

  • 4 de outubro

Profa. Dra. Beatriz Kopschitz Bastos:

Theatre Translation and Intercultural Exchanges on Stage: the Case of Cia Ludens

 

  • 10 de outubro (excepcionalmente na sala 233)

Mesa-redonda: Estudos em linguagem e gênero

Profa. Dra. Viviane Heberle: Discurso e Estudos de Gênero

Profa. Dra. Rosvitha Friesen Blume: Diálogo entre Estudos Feministas e Estudos da Tradução

Profa. Dra. Maria Lucia Vasconcellos: “Reflexões sobre desenho curricular em didática de tradução no contexto de Formação por Competência (FPC) e de Objetivos de Aprendizagem: Introdução à Tradução”

 

  • 25 de outubro

Doutoranda Edelweiss Vitol Gysel: A Tipologia Textual na Didática de Tradução

Doutorando Thiago André dos Santos Veríssimo: As traduções de poesia de Mário Faustino no Jornal do Brasil: História, crítica e tradução literária

 

  • 1 de novembro

Doutorando Natanael Rocha: Aspectos práticos e teóricos da tradução de canções na indústria da música e da dublagem.

 

  • 8 de novembro

Profa. Dra. Adja Durão:  De olho na TV: a tradução da oralidade fingida das telenovelas.


05 e 06/10

 

A Pós-graduação em Estudos da Tradução convida para duas palestras de Donaldo Schüler

Dias 5 e 6 de outubro, quinta-feira e sexta-feira, às 9hs

Local: Auditório Henrique Fontes

Dia 5, às 9hs:

A leitura da “Odisseia” agora
A “Odisseia” ocupa a fronteira entre a literatura oral e a literatura escrita. Na “Odisseia”, oralidade e escrita se misturam. Homero sabe brincar com palavras, recurso desenvolvido na literatura a partir do século XIX. Desde os seus primórdios, a literatura leva o tradutor a recriar. Em Homero o mito se faz poesia.

Dia 6-  às 9hs:

Ler “Finnegans Wake” no século XXI
Traduzir é ler, é interpretar, é recriar. A tradução compreende língua, época, a individualidade do tradutor e dos leitores. As traduções de FW, iniciadas por Haroldo e Augusto de Campos, avançam no século XXI. Na segunda década do século XXI já temos condições de começar a refletir sobre a natureza do que estamos fazendo, compromisso de tradutores e de leitores.

Donaldo Schüler:

Donaldo Schüler é doutor em Letras e Livre-Docente pela UFRGS e pela PUCRS. É professor titular aposentado em Língua e Literatura grega da UFRGS. É professor do Curso de Pós-graduação em Filosofia da PUCRS. Realizou estágio de pós-doutorado na USP, concluído com a publicação do trabalho “Eros: dialética e retórica”. Ministrou cursos em nível de graduação e de pós-graduação no Brasil e no exterior (Estados Unidos, Canadá, Uruguai, Chile, Argentina). Atua como conferencista e professor em várias instituições e universidades. Escreveu livros de ensaios, entre eles: “Teoria do romance”, “Narciso Errante”, “Eros: dialética e retórica”, “Na conquista do Brasil”, “Heráclito e seu (dis)curso”, “Origens do discurso democrático”. Também publicou romances, entre eles: “A Mulher Afortunada”, “Faustino”, “Pedro de Malasartes” e “Império Caboclo”. Traduziu o romance “Finnegans Wake”, de James Joyce, tragédias gregas e a “Odisseia” de Homero.


29/09/2017

Ágata de Florianópolis

Tradução/Criação Oulipiana a partir de Ágata de Medelin de Jacques Jouet


17/11/2017

 

A Pós-graduação em Estudos da Tradução convida para a palestra

“TRAJETÓRIA E PROJETOS ATUAIS NA INTERFACE ESP, TERMINOLOGIA E LINGUÍSTICA DE CORPUS”

Palestrante: Profa. Dra. Ana Bocorny – UFRGS

Data: 17  de novembro de 2017

Horário: 10:30

Local: Sala Machado de Assis, bloco B, CCE


31/10/2017

 

A Pós-graduação em Estudos da Tradução convida para a palestra

“Verbum Obscurum – tradução sob o signo de exílio e escuridão: Teixeira de Pascoaes traduzido por Albert Vigoleis Thelen e Hendrik Marsman”

 

Palestrante: Orlando Grossegesse – Universidade do Minho/Portugal

Data: 31 de outubro de 2017

Horário: 15:00

Local: Sala Machado de Assis

Resumo: Após a morte de Teixeira de Pascoaes em dezembro de 1952, Thelen escreveu sobre “a sorte e, ao mesmo tempo, o infortúnio” de ser o seu tradutor: “tornar mais clara a escuridão, refazendo-a ao transferi-la para a sua própria língua até corresponder à palavra original”. Curiosamente, Thelen utiliza os mesmos conceitos de “aufhellen” e “zurückdunkeln” numa carta dirigida a Menno ter Braak em junho de 1938, quando está a traduzir, em simultâneo com o seu amigo Hendrik Marsman, a biografia de S. Jerónimo (1936) de Teixeira de Pascoaes para neerlandês (Hiëronymus. De dichter der vriendschap. 1939) e para alemão (Hieroymus, der Dichter der Freundschaft. 1941). Apesar de não haver referências explícitas por parte de Thelen, o pequeno ciclo de poemas sob o título de Verbo Escuro (1914) deve ter inspirado este conceito místico de tradução em diálogo com a poética de Pascoaes, porque estes poemas / aforismos são igualmente objeto de tradução simultânea por parte de Thelen (Das dunkle Wort, 1949) e Marsman (Verbum Obscurum, 1946). Analisaremos este diálogo numa leitura comparativa do original português com as edições parciais em alemão e neerlandês, no âmbito do projeto de uma republicação comentada português / alemão / neerlandês.

Orlando Grossegesse:

Professor associado da Universidade do Minho, Braga, Portugal. Desde 1990 é docente / investigador nas áreas de Literatura e Cultura Alemãs e Comparadas, Tradução e Comunicação Multilingue. Estudou Filologias Românicas e Comunicação Social na Universidade de Munique onde se doutorou em 1989 com uma tese sobre a relação entre conversação e discurso literário na obra de Eça de Queiroz, publicada sob o título Konversation und Roman (1991). Publicou mais de uma centena de artigos no âmbito das Filologias Alemã, Portuguesa, Espanhola e Comparada. Para além da tese de doutoramento, as publicações em livro mais relevantes: Saramago lesen. Werk – Leben – Bibliographie (1998; 2ª ed. ampliada e atualizada 2009); atas de colóquios e congressos (organizadas ou co-organizadas), entre outras: «O estado do nosso futuro». Brasil e Portugal entre identidade e globalização (2004); com Henry Thorau, À procura da Lisboa africana (2009); com Mário Matos, Mnemo-Grafias Interculturais (2012). Desde julho de 2016 é diretor do Centro de Estudos Humanísticos da Universidade do Minho (CEHUM). No mesmo ano fundou o Centro de Estudos de Tradução (CET-Tormes) associado à Fundação Eça de Queiroz (FEQ).


06/09/2017

 

A Pós-graduação em Estudos da Tradução convida para a mesa-redonda sobre o lançamento do livro

ALGO INFIEL – CORPO PERFORMANCE TRADUÇÃO

 

  • Guilherme Gontijo Flores (UFPR)
  • Rodrigo Tadeu Gonçalves (UFPR)

 

Data: 06 de setembro de 2017

Horário: 15:00

Local: Sala Hassis – CCE/Bloco B


05/09/2017

As encruzilhadas da tradução

 

Participantes

  • Rosa Maria Olher (UEM): “As representações de tradução construídas por professores-leitores de literatura estrangeira: um lugar “entre-línguas””
  • José Endoença Martins (UNIFACVEST): “Signifyin(g) como metáfora da experiência negra: teoria, tradução, ficção”

 

Data: terça, 05 de setembro, 14:30
Local: Sala Machado de Assis, 4º andar, Bloco B, CCE

_________________________________________________________

14/08/2017

Palestra com Tereza Virgínia Ribeiro Barbosa (UFMG)

” Tradução de Safo: Voigt 31″

 

Tereza Virgínia Ribeiro Barbosa:

Graduada em Português-Grego pela Universidade Federal de Minas Gerais (1980) com mestrado em Estudos Lingüísticos pela UFMG (1990) e doutorado em Lingüística e Língua Portuguesa pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (1997). Realizou Pós-Doutorado pela Universidade de São Paulo, com pesquisa sobre drama satírico grego. Atualmente é professora associada da UFMG. Tem experiência na área de Letras, com ênfase em Tragédia Grega, atuando principalmente nos seguintes temas: teatro antigo, épica grega, drama satírico, mitologia, estudo do riso na Antiguidade, literatura clássica e outras literaturas, tradição e renovação no teatro e tradição clássica na Literatura Brasileira. Participou da elaboração do Dicionário Grego-Português (com tradução de verbetes do francês e inglês, tradução dos exemplos em grego) e desenvolve trabalhos também nas áreas de Lexicografia, Semântica e Análise do Discurso. Coordenadora do grupo de contadores de história do mundo antigo, Contos de Mitologia.


09/10/2017 – 12/10/2017

SIGN8 – International Conference of Sign Language Users


24/08/2017

Aula Inaugural do semestre a cargo de
Francisco Moreno Fernández

(Universidad de Alcalá / Instituto Cervantes, Harvard University)

“¿Un mundo, uma lengua? Sobre globalización y traducción”

 

Cartaz II SILETRAD


24/08/2017 – 29/08/2017

 

II SILETRAD, I SILETTRAD Internacional – Simpósio sobre Léxico, Terminologia e Tradução

 

Cartaz II SILETRAD

PROGRAMAÇÃO EM FLORIANÓPOLIS

25 DE AGOSTO DE 2017, Auditório Henrique da Silva fontes (CCE-B, Térreo)

9:30

  • Paulo Henriques Britto (PUC – Rio): A tradução de “The course of a particular”, de Wallace StevensPouco antes de morrer, Wallace Stevens escreveu um punhado de poemas admiráveis, caracterizados pela brevidade e por uma intensidade emocional que não algo que costume ser associado à obra de um poeta tido como cerebral. Proponho uma leitura e uma tradução deste poema, que será incluído na nova edição da antologia que organizei trinta anos atrás.

 

  • Myriam Ávila (UFMG): Traduzindo Ernst JandlA poesia do austríaco Ernst Jandl é marcada pelo humor e o nonsense baseados em paronomásias. Nesse caso, uma tradução lúdica, que tem como alvo o prazer da leitura, parece ser a melhor opção.

 

13:30

  • Pedro de Niemeyer Cesarino (USP)Wenía: o surgimento dos antepassados – etiologia e viagem em uma narrativa cantada maruboA apresentação será dedicada à tradução bilíngue inédita da narrativa cantada Wenía dos Marubo (Terra Indígena Vale do Javari, Amazonas). Pretendo tratar dos processos classificatórios e etiológicos envolvidos na narrativa em questão e no xamanismo marubo de uma maneira geral. Devo, ainda, tecer considerações sobre o estatuto da metáfora, do paralelismo e de outros aspectos da poética narrativa marubo.

 

  • Douglas Diegues: El portunhol selvagem y la traducción como creacción, transdelírio, teletransporte, perversión y destraducciónNel mundo mágico de la tradução, el tradutor es el xaman que tiene el power de mudar o que foi escrito ou dito na língua original a uma língua outra. Essa operação de magia selvagem verbal pode se realizar plenamente como criação, mas também como transdelirio, teletransporte, perversión y até mesmo destraducción.

 


03/07/2017

Palestra com Ildney Cavalcanti (UFAL)

“Pandora´s box: gender and science in short stories by women”

Ildney Cavalcanti:

Ildney Cavalcanti é professora associada da Universidade Federal de Alagoas, onde atua no programa de pós-graduação em Letras e Linguística. Coordena o grupo de pesquisa “Literatura e Utopia”. Participa do GT “A Mulher na Literatura”, da Anpoll, e é associada à Abrapui. Sua formação em Letras Português e Inglês (graduação) se deu na Universidade Federal de Alagoas e o mestrado na UFSC. Possui doutorado em English Studies, pela University of Strathclyde (1999); e Pós-doutorado pela University of Cardiff (2012). Trabalha com Estudos de Gênero, utopia, estudos da utopia, distopia e literatura no ensino de inglês. Publicou diversos artigos, capítulos de livro e livros sobre esses assuntos. Seu projeto de pesquisa atual é intitulado “Histórias de gênero e de ciência na ficção e na teoria: utopias, distopias e ficção científica de autoria feminina.” Seu mais recente livro, de 2015, que co-organizou com Alfredo Cordiviola, também trata dessa temática: Os Retornos da Utopia: histórias, imagens, experiências. Maceió: Edufal; editou, com Felipe Benício, a tradução de um livro de Tom Moyla: Distopia: Fragmentos de um céu límpido (2016); e está finalizando a edição, com Izabel Brandão, Claudia Lima Costa e Ana Cecília Lima, da antologia Traduções da Cultura: Perspectivas críticas feministas 1970-2010, composta por 21 artigos, a maioria em primeira tradução para o português.


29/06/2017

Palestra com Mayara Ribeiro Guimarães (UFPA)

“Age de Carvalho – a página “Grápho” e a tradução do poema”

 


26/06/2017

 

Jornada de Estudos Leopardianos: O Zibaldone de Leopardi em movimento

Cartaz da Jornada de Estudos Leopardianos


28/06/2017

Palestra com Francisco Degani

 (Tradutor / Pós-doutorando PGET)

“Luigi Pirandello: aspectos da recepção no Brasil”

 

Francisco Degani:

Francisco José Saraiva Degani formou-se em Letras Italianas pela Universidade de São Paulo, em 2004, e em Língua e Cultura Italiana pela Universidade de Pisa/Itália, em 2008. Concluiu seu mestrado em Letras Italianas, com dissertação sobre Pirandello, na USP, em 2008, e o doutorado em Literatura Italiana pela mesma instituição, em 2014, com o tema A representação dos animais nas Novelle per un Anno de Luigi Pirandello. As suas principais traduções são:

  • Berardinelli, Alfonso. Não incentivem o romance e outros ensaios. [Por: Francisco Degani & Doris Nátia Cavallari & Patricia de Cia]. São Paulo: Nova Alexandria, 2006. (Non incoraggiate il romanzo).
  • Croci, Federico & Carneiro, Maria Luiza Tucci (orgs). História do trabalho e Histórias da Imigração. [Por: Francisco Degani]. São Paulo: EDUSP, 2011.
  • Croci, Federico & Carneiro, Maria Luiza Tucci (orgs). Tempos de Fascismos. Ideologia – Intolerância – Imaginário. [Por: Francisco Degani]. São Paulo: EDUSP, 2010.
  • Dell’Aira, Alessandro. Longo estudo, grande amor. História do Istituto Medio Italo-brasiliano Dante Alighieri. [Por: Francisco Degani & Cecilia Casini]. São Paulo: Annablume, 2013. (Lungo studio, grande amore. Storia dell’Istituto medio italo-brasiliano Dante Alighieri).
  • Farinelli, Franco. A invenção da terra. [Por: Francisco Degani]. São Paulo: Phoebus, 2013. (L’invenzione della terra).
  • Ferrari, Armando & Santucci, Luigi. As novas confissões de um italiano. [Por: Francisco Degani]. Milano: Chimera Editore, 2010. (Le [nuove] confessioni di um italiano).
  • Manzoni, Alessandro. Os noivos – História da coluna infame. [Por: Francisco Degani]. São Paulo: Nova Alexandria, 2012. (I promessi sposi – Storia della colonna infame).
  • Nievo, Stanislao. Um campo no fundo do mar. [Por: Francisco Degani & Valentina Drago]. São Paulo: Nova Alexandria, 2013. (Il prato in fondo al mare).
  • Pirandello, Luigi. O falecido Mattia Pascal. [Por: Francisco Degani & Rômulo Antonio Giovelli]. São Paulo: Nova Alexandria, 2007. (Il fu Mattia Pascal).
  • Pirandello, Luigi. O marido dela. [Por: Francisco Degani]. São Paulo: Mediafashion. Coleção Folha. Grandes nomes da literatura, 2016. (Suo marito. Giustino Roncella, nato Boggiollo).
  • Pirandello, Luigi. Pirandello e a máscara animal. Incluindo 16 novelas de Luigi Pirandello. [Por: Francisco Degani]. São Paulo: Nova Alexandria, 2015.
  • Rodari, Gianni. A guerra dos sinos. [Por: Francisco Degani]. São Paulo: Editora Biruta, 2009. (La guerra delle campane).
  • Rodari, Gianni. Agente X-99 : Histórias vindas do espaço. [Por: Francisco Degani]. São Paulo: Editora Biruta, 2009. (Agente X.99: storie e versi dallo spazio ).
  • Rodari, Gianni. O homem da chuva. [Por: Francisco Degani]. São Paulo: Editora Biruta, 2009. (L’omino della pioggia).
  • Rodari, Gianni. O homem do sonho. [Por: Francisco Degani]. São Paulo: Editora Biruta, 2013. (L’ommino dei sogni).
  • Rodari, Gianni. Toninho, o invisível. [Por: Francisco Degani]. São Paulo: Editora Biruta, 2011. (Tonino l’invisibile).
  • Rodari, Gianni. Um bolo no céu. [Por: Francisco Degani]. São Paulo: Editora Biruta, 2009. (La torta in cielo).
  • Schinaia, Cosimo. Pedofilia pedofilias. [Por: Francisco Degani & Maria do Rosario Toschi]. São Paulo: EDUSP, 2015. (Pedofilia pedofilie).

26/05/2017

Palestra com Silvana Nicoloso (UFSC)

“As Modalidades de Tradução aplicadas à interpretação simultânea em Libras:

Igualdade de gênero em foco”


23/05/2017

 

Palestra com Hans-Christian Trepte (Leipzig University)

“Between periphery and centre. Migration literature and the (German) literary field”

 

Hans-Christian Trepte:

Born in Freital (Saxony). Slavonic and English/American Studies in Greifswald and Leipzig. Polish Studies in Leipzig, Warsaw and Wroclaw (Breslau). Assistent professor for West Slavonic Cultures and Literatures at Leipzig University and The Research Centre for History and Culture of East Central Europe (Leipzig). Translator of Polish literature (into German). Numerous publications on Polish and Czech cultures and literatures, German-Slavonic cultural and literary relations, émigré and migration literature of East European descent. Editor and Co-editor (a.o.):

Zwischen Oder und Peipus-See. Zur Geschichtlichkeit literarischer Texte im 20. Jahrhundert, 2001; Grundbegriffe und Autoren ostmitteleuropäischer Exilliteraturen 1945-1989, 2004;National-Texturen.

Nationaldichtung als Literarisches Konzept in Nordosteuropa, 2009; Zwischen Ost- und West: Joseph Conrad im europäischen Gespräch, 2010; Alteritäten: Literatur, Kultur, Sprache, 2013;

Flüsse und Flussläufe in der Literatur, 2014, Berge und Gebirge in der Literatur, 2017.


24/05/2017 – 26/05/2017

 

II Congresso da Associação Brasileira de Estudos /germanísticos

Informações e programação no site do evento


17/05/2017

Palestra com Vincenzo Arsillo (Università Ca’ Foscari – Venezia)

“Retraduzir-se em Drummond (ou a versão como estória)”

 

Vincenzo Arsillo:

Professor de Literatura Portuguesa e Brasileira da Universidade Ca’ Foscari de Veneza. Ocupou-se de literatura de viagem do século XVI, de poesia e prosa do século XX. Na área portuguesa, estudou, entre outros, Herberto Helder, José Cardoso Pires, José Saramago e António Lobo Antunes; naquela brasileira, sempre entre outros, Carlos Drummond de Andrade, Manuel Bandiera e João Guimarães Rosa.  As suas linhas de pesquisa abrangem as formas de representação da memória literária, as relações entre história e literatura, as estruturas e modalidades retóricas de formação do texto literário. É também tradutor de poesia e prosa portuguesa e brasileira (Herberto Helder, Carlos Drummond de Andrade, João Guimarães Rosa, Machado de Assis).


16/05/2017

 

III Colóquio de Tradução

PROGRAMAÇAO:

Site do evento


03/05/2017

 

Conversa com José Geraldo Couto sobre imprensa, cultura e tradução

 

Organização
Rosario Lázaro Igoa (PGET/UFSC; PNPD/CAPES)
Andréia Guerini (PGET/UFSC; CNPq)
Walter Carlos Costa (PGET/UFSC; POET/UFC; CNPq)
Apoio
PGET Pós-Graduação em Estudos da Tradução
UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA

04/05/2017 – 05/05/2017

 

I SIMPÓSIO: FEMINISMOS E DECOLONIALIDADES NA LITERATURA E NA TRADUÇÃO

imagem colóquio

04/05

08:30 – MESA DE ABERTURA

09:00 – MESA-REDONDA: Tradução e relações de poder:
Prof. Dra. Meritxell Hernando (PGET/UFSC)
Prof. Dra. Patrícia Peterle (PPGLit/UFSC)
Mediação: Prof. Dra. Rosvitha Blume

10:30 – SESSÃO DE COMUNICAÇÃO – A tradução de textos de autoria feminina

14:00 – MESA-REDONDA: Decolonialidades no campo literário:
Prof. Dra. Simone Schmidt(PPGLit/UFSC)
Prof. Dra. Eliana Ávila (PPGI/UFSC)
Drndo. Marcelo Spitzner (PPGLit/UFSC)
Mediação: Prof. Dra. Martha Pulido

16:00 – Coffee break

17:00 – Ensaio aberto do espetáculo inspirado no livro “A guerra não tem rosto de mulher”, de Svetlana Aleksiévitch – Turmas de atuação e encenação III do curso de Artes Cênicas. Prof. Dra. Priscila Genara.
Local: Teatro do Bloco D (térreo do Caixa preta) / CCE

05/05

08:30 – SESSÃO DE COMUNICAÇÃO – Debates teóricos sob perspectivas feministas e descoloniais

10:30 – SESSÃO DE COMUNICAÇÃO – Tradução e marginalidade

14:00 – MESA-REDONDA: Literatura e Mulher:
Prof. Dr. Jair Zandoná (PPGLit/UFSC),
Prof. Dra. Rosana Kamita (PPGLit/UFSC)
Prof. Dra. Tânia Regina Ramos (PPGLit/UFSC)
Mediação: Dra. Rosario Lázaro

16:30 – SESSÃO DE COMUNICAÇÃO – Literatura de autoria feminina

Informações: fb.me/gedef.ufsc Contato: gedef.ufsc@gmail.com

Realização: Gedef, PGET, UFSC


09/05/2017

Palestra com Regina Przybycien (UFPR)

“Aquelas sopas de letrinhas — A poesia de Wislawa Szymborska e os desafios que apresenta à tradução”

 

Regina Przybycien:

Regina Przybycien é professora aposentada de literaturas de expressão inglesa e de literatura comparada da Universidade Federal do Paraná. De 2009 a 2015 lecionou literatura brasileira na Universidade Jagielônica de Cracóvia, Polônia. É especialista na obra de Elizabeth Bishop e tradutora de Wisława Szymborska, tendo publicado a obra crítica Feijão preto e diamantes – O Brasil na obra de Elizabeth Bishop (Ed. UFMG, 2015) e as coletâneas de traduções: Poemas, (2011) e Wisława Szymborska [um amor feliz] (2016) ambas pela Cia. das Letras.


19/04/2017

 

Palestra com Νikos Pratsinis (Tradutor e Intérprete)

“Minha trajetória como tradutor e a trajetória da literatura brasileira na Grécia”

 

Νikos Pratsinis:

Νikos Pratsinis nasceu e vive em Atenas. É licenciado em Química pela Universidade de Atenas, fez estudos de pós-graduação na Universidade Complutense (Madrid) na área da Economia da Indústria Química e estudou língua e cultura portuguesa (3 anos) na Universidade de Lisboa. Atualmente trabalha como tradutor e intérprete (grego, espanhol, inglês e português), é coproprietário da empresa COM N.Pratsinis-K.Zissimou, Tradução epecializada e Interpretação simultânea, e professor de tradução literária (espanhol-grego). É membro da Sociedade Grega de Tradutologia e tem especial interesse na tradução coletiva ou grupal (com a presença do autor, se possível) como forma de ensino ou de criação. Organiza “ateliers” de tradução coletiva. Algumas obras traduzidas para o grego: Junky, de W. Burroughs, Pedro Páramo, de Juan Rulfo, El sueño de los heroes, de Adolfo Bioy Casares, Helena, de Machado de Assis, O Mandarim, de Eça de Queiros, Llibre d’ Amic I Amat, de Ramon Llull, Doors of Perception, de Aldous Huxley, Crónicas de Indias, de cronistas espanhόis da época das Descobertas. Em colaboração com o poeta e professor universitário português J.J.Magalhães traduziu os poemas canónicos de K.P. Kavafis e uma antologia de poemas de Yiorgos Seferis (do grego para o português).


29/03/2017

Mesa-redonda: Tradução de literatura brasileira

 

Participantes:

  • Daniele Petruccioli (Tradutor, bolsista do Programa de Residência de Tradutores Estrangeiros no Brasil, da Fundação Biblioteca Nacional): “Novas escritas, editoras velhas. A jovem literatura brasileira traduzida na Itália”
  • Jessica Falconi (Tradutora, bolsista do Programa de Residência de Tradutores Estrangeiros no Brasil, da Fundação Biblioteca Nacional): “Clássicos e contemporâneos: diferenças e desafios para os tradutores”
  • Fábio Lima (FBN): “Promoção da literatura brasileira no exterior. Apoio à tradução e à publicação”
  • Andréia Guerini (PGET/UFSC) (Coordenadora)

 

Organização: Andréia Guerini (PGET/UFSC) e Walter Carlos Costa (PGET/UFSC – POET/UFC)

Apoio: PGET e Fundação Biblioteca Nacional

Andréia Guerini:

Andréia Guerini tem pós-doutorado pela Università degli Studi di Padova (2010) e doutorado em Literatura pela Universidade Federal de Santa Catarina (2001).É professora Associado 2 do Departamento de Língua e Literatura Estrangeiras da Universidade Federal de Santa Catarina. Tem experiência na área de Letras, com ênfase em Teoria Literária, Teoria da Tradução, Literatura Italiana, Literatura Traduzida, Literatura Comparada. Desde 1999, vem se dedicando ao estudo da obra do escritor italiano Giacomo Leopardi, especialmente os ensaios do Zibaldone di Pensieri. Desde 2010, coordena o Grupo de Pesquisa do CNPq de Estudos Leopardianos, com a participação de professores brasileiros e estrangeiros. Desde 2002, é editora-chefe da revista Cadernos de Tradução (Qualis A1) e a partir de 2011 da revista online Appunti Leopardian, editada em parceria com pesquisadoras italianas. Coordena vários acordos internacionais com a Itália. Atua, desde 2011, como professora visitante do programa de Doutorado em Letteratura, Storia della lingua e Filologia italiana da Università per Stranieri di Siena/Itália. Atualmente, é coordenadora da Pós-Graduação em Estudos da Tradução, faz parte da Diretoria da Associação Brasileira de Pesquisadores em Tradução (ABRAPT), gestão 2011-2013 e da Diretoria da Associação Nacional de Pós-Graduação em Letras e Linguística (ANPOLL), gestão 2012-2014. É pesquisadora do CNPq.

Daniele Petruccioli:

Daniele Petruccioli nasceu e vive em Roma. É tradutor, scout e editor freelance, trabalhando sobre romances italianos, franceses, ingleses e da área lusófona, com destaque para a experimentação linguística e para a literatura pós-colonial. Oferece regularmente oficinas e palestras sobre tradução e ensina tradução do português nas universidades “Tor Vergata” e “Unint”. Traduziu, entre outros, Cristovão Tezza, Heloneida Studart, Luandino Vieira, Mia Couto, Dulce Maria Cardoso. Em 2010, ganhou o prêmio “Luciano Bianciardi” pela tradução do romance em lipogramas Ella Minnow Pea de Mark Dunn (Lettere, Voland 2008). Em 2014 publicou o livro Falsi dÂ’autore. Guida pratica per orientarsi nel mondo dei libri tradotti (“Falsos de autor. Guia prático para se orientar no mundo dos livros traduzidos”, editora Quodlibet, Macerata). É membro fundador do STradE (Sindacato Traduttori Editoriali).

Fábio Lima:

Fábio Lima é formado em História, com especialização em Gestão e Produção Cultural. Está na FBN (Fundação Biblioteca Nacional) desde 2008.

Jessica Falconi:
Jessica Falconi tem doutorado pela Universidade de Nápoles LÂ’Orientale. Pesquisa literaturas africanas de língua portuguesa junto ao Centro de Estudos sobre Ásia, África e América Latina (CESA) da Universidade de Lisboa. Foi bolsista de pós-doutoramento entre 2010 e 2017 da Fundação para a Ciência e Tecnologia de Portugal (FCT). Entre 2007 e 2013 foi docente junto aos programas de Licenciatura e Mestrado em Línguas e Literaturas Estrangeiras da Universidade de Nápoles LÂ’Orientale, em Língua Portuguesa e Tradução, Literatura Portuguesa e Literatura Brasileira. Traduziu para italiano obras clássicas da literatura portuguesa e brasileira, ensaios, literatura juvenil, entre as quais destacam: Per una nuova globalizzazione [Por uma outra globalização], de Milton Santos, 2016; Comincia una vita [Começa uma vida], de Irene Lisboa, 2015; Storia di un pagliaccio, [A Morte do Palhaço] e o Mistério da Árvore de Raul Brandão, 2015; I Poveri, título original Os Pobres de Raul Brandão, 2015; Un matrimonio fuori città [Um casamento no arrabalde] de Franklin Távora, 2014; Nella terra di Bruzundanga. Cronache dal Brasile, [Os Bruzundangas] de Lima Barreto, 2013; Memorie di un sergente delle milizie, [Memórias de um sargento de milícias] de Manuel Antônio de Almeida, 2013.

21/03/2017

 

Palestra com Mele Pesti (FBN / Tradutora e pesquisadora)

“Literatura brasileira no espelho de um país pequeno. Recepção na Estónia.”

 


03/04/2017

 

Aula Inaugural do semestre a cargo de Bruno Barretto Gomide (USP)

“Tradução de literatura russa na Era Vargas (1930-1945)”

 

Bruno Barretto Gomide:
 Bruno Barretto Gomide é professor livre-docente de literatura russa na USP. Doutor em Literatura Comparada pela Unicamp, com estágio de doutorado CAPES na Universidade da Califórnia, Berkeley. Pesquisador 2 do CNPq desde 2012. Foi pesquisador-visitante no IMLI (Moscou), no Púchkinski dom (S. Petersburgo), nas Universidades de Glasgow, Londres, Harvard e Berkeley. É o organizador do GT de Literatura Russa da ABRALIC. Tem publicado artigos em periódicos internacionais (como Tolstoy Studies Journal, Vopróssy literatúry e Materiály i isslédovania) e participado dos principais congressos da área de estudos russos. Publicou o livro Da estepe à caatinga: o romance russo no Brasil (1887-1936) pela Edusp (2º lugar no prêmio Jabuti), fruto de sua tese de doutorado (menção honrosa no prêmio de teses da CAPES no triênio 2004-2007). Organizou duas antologias (Nova antologia do conto russo e Antologia do pensamento crítico russo) pela editora 34. Atualmente tem dois projetos de pesquisa: a obra do tradutor soviético David Vygódski e uma biografia intelectual de Boris Schnaiderman. Tem no prelo a organização de uma coleção de cinco narrativas relacionadas à Revolução Russa (ed. 34), uma antologia de textos críticos sobre a intelligentsia, a cultura e a Revolução Russa (ed. Boitempo) e um livro provisoriamente intitulado “Dostoiévski na Rua do Ouvidor: a literatura russa e o Estado Novo” (Edusp), todos previstos para 2017.

03/03/2017

 

Palestra com José Luiz Vila Real Gonçalves (UFOP)

“Repensando o espaço da formação de tradutores no Brasil de diferentes perspectivas”

 

José Luiz Vila Real Gonçalves:
 Possui graduação em Letras – Bacharelado em Tradução pela Universidade Federal de Ouro Preto (1991), graduação em Letras – Licenciatura em Português/Inglês pela Universidade Federal de Ouro Preto (1992), mestrado em Estudos Linguísticos pela Universidade Federal de Minas Gerais (1998) e doutorado em Estudos Linguísticos pela Universidade Federal de Minas Gerais (2003). Concluiu seu estágio pós-doutoral pelo POSLIN-UFMG EM 2011, tendo desenvolvido sua pesquisa em parceria com o CRITT-CBS, em Copenhague, Dinamarca. Atualmente é professor associado de tradução e língua inglesa da Universidade Federal de Ouro Preto. Coordenou o Programa de Pós-graduação em Letras: Estudos da Linguagem da UFOP entre 2013 e 2014. Sua área de atuação é especialmente a Lingüística Aplicada e Estudos da Tradução, com ênfase nos seguintes temas: ensino de tradução, pesquisas processuais da tradução, competência do tradutor, teoria da relevância e desempenho experto em tradução.

22/02/2017

 

Palestra com Jair Barbosa da Silva (UFAL) & João Paulo Ampessan (UFSC)

“Orações paratáticas em Libras: em busca de adequação descritiva”