(Português) 2018.2

Disculpa, pero esta entrada está disponible sólo en Portugués De Brasil y Inglés Estadounidense. For the sake of viewer convenience, the content is shown below in this site default language. You may click one of the links to switch the site language to another available language.

Edital de Seleção para Discentes de Mestrado e Doutorado

 

 

Edital 2018.2:

 Versão PDF: 
 Clique aqui

 

 

Edital 2018.2 (RETIFICAÇÃO I):

Versão PDF:
Clique aqui

 

No EDITAL Nº 04/PGET/2018 DE SELEÇÃO DE ALUNOS/AS PARA O SEMESTRE 2018.2 DOS CURSOS DE MESTRADO E DOUTORADO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ESTUDOS DA TRADUÇÃO.

Onde se lê: 

8.3. Currículo Lattes (lattes.cnpq.br) e atualizado (última atualização: 2018), em formato livre, com a produção dos últimos quatro anos (2017, 2016, 2015, 2014); 

Leia-se:

8.3. Currículo Lattes (lattes.cnpq.br) e atualizado (última atualização: 2018), com a produção dos últimos quatro anos (2017, 2016, 2015, 2014); 

 

 

Edital 2018.2 (RETIFICAÇÃO II):

Versão PDF:
Clique aqui

 

NO EDITAL Nº 04/PGET/2018 DE SELEÇÃO DE ALUNOS/AS PARA O SEMESTRE 2018.2 DOS CURSOS DE MESTRADO E DOUTORADO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ESTUDOS DA TRADUÇÃO.

Onde se lê:

8.4. Memorial descritivo de até cinco páginas (fonte Times New Roman, corpo 12, espaço 1,5.) informando a trajetória pessoal e acadêmica;

Leia-se:

8.4. Memorial descritivo de até cinco páginas (fonte Times New Roman, corpo 12, espaço 1,5.) informando a trajetória pessoal e acadêmica; O/A candidato/a poderá também entregar o Memorial descritivo em Libras (vídeo de 5 a 10 min.), contendo as especificações acima correspondentes em Libras.

 

Homologação das inscrições: 

Versão PDF:
Clique aqui.

Apenas para candidatos (as)  autodeclarados (as) negros (as)

 
Prezados (as) candidatos (as) autodeclarados (as) negros (as):

Informamos que a banca de Políticas de Ações Afirmativas do processo seletivo 2018.2 acontecerá no dia 18 de junho, segunda-feira, às 11h00min na sala da PGET (sala 301 Bloco B CCE).

Todos (as) os(as) candidatos (as) que se autodeclararam negros/as deverão comparecer à banca.

 

Atenciosamente,
Comissão de Seleção.

Prova de Proficiência (20/06/2018):

Data: 20/06/2018
Horário: 8h30  (OBS: Chegar com 5 minutos de antecedência)
Local: Sala 321 – CCE/Bloco B– 3° andar 

 

Resultado da Prova de Proficiência:

Versão PDF:
Clique aqui.

 

Resultado do Processo Seletivo 2018.2:

Versão PDF:
Clique aqui.

 

Resultado do Edital de Atribuição de Bolsas CAPES 2018.2 – Mestrado e Doutorado

Versão PDF:
Clique aqui.

Resultado do Processo Seletivo 2018.2 e Matrícula para alunos/as novos/as.

Prezados (as),

 

A Pós-Graduação em Estudos da Tradução informa o Resultado da Seleção do Processo Seletivo 2018.2.

 

Para acessá-lo, clique aqui.

 

 

A PGET comunica que os/as candidatos/as aprovados/as devem realizar a matrícula presencialmente com os docementos relacionados abaixo.

Aqueles/as que não puderam fazê-lo, por motivo de força maior, devem  enviar toda a documentação on-line para o e-mail da secretaria.

A matrícula ocorrerá na primeira semana de aula (de 30/07 a 03/08).

 

– Carteira de identidade (ou passaporte no caso de estangeiros/as)

–  CPF

–  Certidão de nascimento e ou de casamento

– Diploma de graduação

– Histórico escolar da graduação

– Ficha de inscrição no processo seletivo

 

Atenciosamente,
Comissão de Seleção 2018.2

EDITAL 2018.2:

 

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA

CENTRO DE COMUNICAÇÃO E EXPRESSÃO

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ESTUDOS DA TRADUÇÃO

 

EDITAL Nº 04/PGET/2018 DE SELEÇÃO DE ALUNOS/AS PARA O SEMESTRE 2018.2 DOS CURSOS DE MESTRADO E DOUTORADO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ESTUDOS DA TRADUÇÃO.

 

  1. Faz-se público que, entre 14:00h de 09 de maio de 2018 e 23:59h de 07 de junho de 2018, estão abertas as inscrições para preenchimento de 22 vagas de mestrado e 11 vagas de doutorado no Programa de Pós-Graduação em Estudos da Tradução.

 

  1. Poderão se inscrever candidatos/as portadores/as de diplomas de cursos de graduação reconhecidos pelo Ministério da Educação. Os cursos de graduação realizados no exterior deverão ter o reconhecimento do Colegiado do Programa, ainda que este reconhecimento se destine exclusivamente ao ingresso do aluno no programa, e não confira validade nacional a esse título.

 

  1. Serão destinadas cinco (5) vagas de mestrado pela Política de Ações Afirmativas da UFSC[1], para candidatos/as de nacionalidade brasileira pertencentes aos segmentos autodeclarados pretos, pardos e indígenas.

 

  1. Será permitido aos/às candidatos/as que residem no exterior e em cidades que não pertençam à região metropolitana de Florianópolis (definido pela Lei Complementar Promulgada Nº 495, de 26 de janeiro de 2010, art. 5) realizar as fases do processo seletivo adistância. Para tanto, deverão seguir as orientações específicas deste edital.

 

  1. Após o envio da documentação, os/as candidatos/as receberão uma resposta automática de confirmação de sua inscrição. Não haverá, por parte da Secretaria da PGET, qualquer outro tipo de comunicação ou confirmação, por qualquer meio, de recebimento da documentação de inscrição, devendo o/a candidato/a, portanto, esperar pela publicação do resultado da homologação de sua inscrição no site do programa, http://ppget.posgrad.ufsc.br/ nas datas previstas no calendário do Processo Seletivo como definido no item 15.

 

  1. É de inteira responsabilidade dos/as candidatos/as assegurar que toda correspondência eletrônica contendo os documentos necessários à homologação da inscrição seja recebida dentro dos prazos, condições e especificações estabelecidos neste edital. Arquivos danificados, com vírus ou outros problemas técnicos que impossibilitem sua leitura serão descartados imediatamente.

 

  1. Todas as informações relativas ao processo seletivo constam deste edital, portanto, a correta interpretação do mesmo é de responsabilidade do/a candidato/a e faz parte do processo seletivo. A fim de preservar a idoneidade do processo seletivo, nem a Secretaria do Programa, nem a Coordenação e nem a Comissão de seleção fornecerão informações adicionais por qualquer meio.

 

  1. Os documentos obrigatórios para a homologação da inscrição são os seguintes:

8.1. Comprovante de inscrição (a inscrição deverá ser efetuada no endereço http://capg.sistemas.ufsc.br/inscricao/. Na sequência, o/a candidato/a deverá imprimir o comprovante que o sistema gerará);

8.2. Projeto de pesquisa. Deve conter entre 10 e 12 páginas (sem contar as referências bibliográficas); fonte Times New Roman, corpo 12, espaço 1,5. Deve conter: título; introdução e justificativa, apresentando a relevância do tema; objetivos, com definição e delimitação clara do objeto de estudo; fundamentação teórica, metodologia, cronograma das atividades e referências bibliográficas. O/A candidato/a poderá entregar o projeto de pesquisa em Libras (vídeo de 15 a 20 min.), contendo as especificações acima correspondentes em Libras.

8.3. Currículo Lattes (lattes.cnpq.br) e atualizado (última atualização: 2018), em formato livre, com a produção dos últimos quatro anos (2017, 2016, 2015, 2014);

8.4. Memorial descritivo de até cinco páginas (fonte Times New Roman, corpo 12, espaço 1,5.) informando a trajetória pessoal e acadêmica;

8.5.Histórico Escolar do Curso de Graduação, ou documento equivalente, no caso de candidatos/as estrangeiros/as;

8.6. Diploma de Curso de Graduação ou Certificado de Conclusão de Curso de Graduação ou, ainda, declaração expedida pela coordenação do curso que indique tratar-se de estudante concluinte de Curso de Graduação, devendo neste último caso apresentar-se o diploma, impreterivelmente, até a data de efetivação da matrícula no Programa;

8.7. Carteira de identidade e do CPF para candidatos/as de nacionalidade brasileira ou Passaporte com fotografia e dados pessoais para candidatos/as estrangeiros/as;

8.8. Certidão de nascimento ou de casamento atualizada e com validade de 90 dias; em caso de alteração de nome, a Certidão deverá conter a atualização da(s) averbação(ões);

8.9. Atestado de Proficiência em língua estrangeira emitido por Universidade Federal ou Estadual, onde haja Programa de Pós-graduação recomendado pela CAPES. Serão aceitos certificados TOEFL, IELTS, Michigan e ELSA para comprovação de conhecimentos de inglês, DELF para comprovação de conhecimento de francês, DELE, CELU, CELA e certificados congênerespara comprovação de conhecimentos de espanhol e CELI-CIC, CILS, IT-ele.IT ou PLIDA para o italiano. Serão aceitos diplomas de Graduação em Letras estrangeiras como proficiência. Também será admitida a realização do exame de proficiência na sede da PGET, em data estabelecida no item 15 deste edital.

8.10. Apenas para candidatos/as autodeclarados/as pretos, pardos e indígenas: autodeclaração informando opção pelo ingresso via Política de Ações Afirmativas da UFSC. (ver modelo de autodeclaração nos Anexos I e II) Os/as candidatos/as autodeclarados indígena deverão apresentar ainda uma declaração de três lideranças indígenas reconhecidas e uma declaração da Fundação Nacional do Índio (FUNAI) nas quais se configure o pertencimento a uma etnia indígena.

 

  1. Todos os documentos emitidos no exterior que forem apresentados neste processo seletivo deverão estar chancelados pelas autoridades consulares brasileiras (legalização diplomática), respeitando-se as determinações legais em vigor.

 

  1. Os documentos deverão ser enviados até 23h59min do dia 07 de junho de 2018, exclusivamente por e-mail (selecaopget@gmail.com) em arquivos separados em formato PDF, com a seguinte divisão: um arquivo para os documentos, um arquivo para o projeto, um arquivo para a proficiência e um arquivo para o Currículo Lattes. No corpo da mensagem deve constar o nome do/a provável orientador/a e, no caso de candidatos/as ao doutorado, a língua, ou as línguas, na qual fará a proficiência.

 

  1. Após o término das inscrições, a Comissão responsável por conduzir o processo seletivo, designada pela Coordenação e homologada pelo Colegiado Pleno do Programa, fará a conferência da documentação dos/as candidatos/as, visando homologar as inscrições.

11.1. Serão homologadas pela Comissão responsável somente as inscrições que tenham sido enviadas dentro do prazo de inscrição estipulado no presente edital, bem como as que contenham todos os documentos exigidos à homologação do ato, conforme o item 8.

11.2. Os/As candidatos/as que se inscreverem pela Política de Ações Afirmativas deverão, em data e horário a serem divulgados conforme item 15, se apresentar a uma banca,formada e homologada pela Secretaria de Ações Afirmativas e Diversidades (SAAD) da UFSC. Os/As candidatos/as inscritos/as pela Política de Ações Afirmativas que não comprovarem as exigências relativas à modalidade na qual se classificaram não terão suas inscrições homologadas. Os/ As candidatos/as que prestarem informações falsas relativas às exigências estabelecidas pela Resolução Normativa da UFSC estarão sujeitos à penalização pelos crimes previstos em lei.

  1. Professores/as orientadores/as, linhas de pesquisa, temáticas e respectivas vagas para o semestre 2018.2:

 

Professor(a) Linha de Pesquisa/Temática Número de Vagas  

Segunda língua para o doutorado

ME DO ME AA DO AA
Alckmar Luiz dos Santos Linha de pesquisa: Estudos Literários da Tradução e da Interpretação

Temáticas:Tradução de corpus poético (ou seja, em versos) para o Português

 

0 1 0 0 Francês
Alinne Fernandes Linha de pesquisa: Estudos Literários da Tradução e da Interpretação

Temáticas:Tradução teatral; tradução e feminismo.

 

1 0 0 0 ——-
Andréa Cesco Linha de pesquisa: Estudos Literários da Tradução e da Interpretação

Temáticas: Tradução comentada; crítica de tradução; história da tradução; tradução do século de ouro espanhol

 

0 1 0 0 Espanhol
Andréia Guerini Linha de pesquisa: Estudos Literários da Tradução e da Interpretação

Temáticas:História da tradução, História dos Estudos da Tradução, Literatura Traduzida

 

0 2 0 0 Espanhol ou Francês ou Italiano
Carlos Henrique Rodrigues Linha de pesquisa: Estudos Linguísticos da Tradução e da Interpretação

Temáticas:Interpretação e Tradução Intermodal Português-Libras e Intramodal gestual-visual (entre a Libras e outra língua de sinais), Competência Tradutória e Didática da Tradução/Interpretação de Línguas de Sinais.

 

2 0 0 0 ——-
Evelyn Zea Linhas de pesquisa: Estudos Literários da Tradução e da Interpretação

Estudos Linguísticos da Tradução e da Interpretação

Temáticas:Antropologia e tradução, intermedialidade, conceitos nativos, traduções ameríndias.

1 1 1 0 Alemão ou Espanhol ou Francês ou Guarani ou Kaingang ou Xokleng/laklãnõ
Gilles Jean Abes Linha de pesquisa: Estudos Literários da Tradução e da Interpretação

Temáticas:Tradução comentada (literatura). Recepção de obras literárias e/ou autores(as). Teoria da tradução. Tradução de quadrinhos. Localização de games.

 

1 1 0 0 Francês ou Espanhol
Marie Hélène C. Torres Linha de pesquisa: Estudos Literários da Tradução e da Interpretação

Temáticas:Tradução comentada de contos de fadas de escritoras francesas do século 17 e 18.

 

1 0 1 0 ——-
Neiva de Aquino Albres

 

Linha de Pesquisa: Estudos Linguísticos da Tradução e da Interpretação

Temáticas: Estudo de aspectos sócio-políticos da tradução e interpretação em línguas de sinais (Políticas linguísticas, educacionais e interpretação em línguas de sinais); pesquisas históricas; pesquisas de processos interpretativo e tradutório (cognitivo-discursivo e meta-reflexão); pesquisas sobre ensino e aprendizagem de interpretação e/ou tradução em línguas de sinais (currículo e didática).

 

2 0 0 0 ——-
Pedro Heliodoro Tavares Linha de pesquisa: Estudos Literários da Tradução e da Interpretação

Temáticas:Tradução de obras literárias; tradução e línguas de especialidade; tradução de ciências humanas e ciências sociais aplicadas.

 

3 0 0 0 ——-
Rachel Sutton-Spence Linha de pesquisa: Estudos Literários da Tradução e da Interpretação

Temáticas:Tradução e interpretação de literatura surda e sinalizada.

 

2 0 1 0 ——-
Sergio Medeiros Linha de pesquisa: Estudos Literários da Tradução e da Interpretação

Temáticas: Literatura, poesia, tradução.

 

0 1 0 0 Espanhol

 

Silvana Aguiar dos Santos Linha de pesquisa: Estudos Linguísticos da Tradução e da Interpretação

Temáticas:Tradução e interpretação de Libras-Português-Libras na esfera jurídica e policial; Tradução e interpretação de Libras- Português-Libras no ensino superior e Políticas Linguísticas/Políticas de Tradução.

 

2 0 1 0 ——-
Werner Heidermann Linha de pesquisa: Estudos Literários da Tradução e da Interpretação

Temática: Tradução e Migração

 

2 0 1 0 ——-
Walter Carlos Costa Linha de pesquisa: Estudos Literários da Tradução e da Interpretação

Temáticas: História da tradução, História dos Estudos da Tradução, Literatura Traduzida, Tradução Comentada

 

0 4 0 0 Alemão ou Francês ou Italiano ou Espanhol ou Neerlandês
Total   17 11 5 0  

 

  1. O processo de seleção compreende:

 

13.1. exame ou comprovação de proficiência em inglêspara os/as candidatos/as que se inscreverem no mestrado. O/A orientador/ de mestrado indicado pelo/a candidato/a poderá exigir, além da proficiência em inglês, a proficiência em uma segunda língua estrangeira ou em Língua Brasileira de Sinais – Libras.

13.2. exame ou comprovação de proficiência em inglês e exame ou comprovação de proficiência  de uma segunda língua estrangeira para os/as candidatos/as que se inscreverem no Doutorado. A segunda língua estrangeira é especificada pelo/a orientador/a no item 12. O/A orientador/a poderá exigir proficiência em uma terceira língua estrangeira ou em Língua Brasileira de Sinais – Libras;

13.2.1. o exame de proficiência em língua estrangeira ou em Libras terá caráter eliminatório.  Será permitida a utilização de dicionário durante a realização do exame de proficiência;

13.2.2. o exame de proficiência será realizado em data prevista no item 15 e em local a ser divulgado no site da PGET.

13.3. banca de Política de Ações Afirmativas (apenas para os/as candidatos/as que optarem por essa modalidade), em data prevista no item 15 e em local a ser divulgado no site da PGET.

13.3.1. a Banca de Política de Ações Afirmativas observará como critério o fenótipo (no caso dos/as candidatos/as autodeclarados/as preto/pardo) e o documento de comprovação de pertencimento a uma etnia indígena, conforme documentação exigida no item 8.10. (no caso dos/as candidatos/as autodeclarados/as indígena)

13.4. análise do projeto de pesquisa, que deverá estar adequado à linha de pesquisa e às temáticas indicadas pelos/as orientadores/as no item 12; análise do memorial descritivo conforme estabelecido no item 8.4; análise do currículo, conforme estabelecido no item 8.3, e arguição. A arguição será marcada pelo/a orientador /a após a divulgação do resultado da prova de proficiência e poderá ser realizada virtualmente ou presencialmente, em português, ou em Libras, ou ainda na língua determinada pelo/a orientador/a.

  1. A nota final será assim constituída: 30% para o projeto de pesquisa; 30% para o memorial; 30% para a arguição e 10% para o Currículo Lattes. Os critérios de avaliação e pontuação de cada elemento constituinte da nota final estão indicados no Anexo III.

 

CRONOGRAMA

Todas as publicações serão feitas no site da PGET/USFC (http://ppget.posgrad.ufsc.br/)

Vigência do edital De 09 de maio de 2018 a

27 de julho de 2018

Período de Inscrições Das 12:00h de 09 maio de 2018 às

23:59h de 07 de junho de 2018

Banca de Política de Ações Afirmativas (apenas para os/as candidatos/as que optarem por essa modalidade) Data, horário e local a serem divulgados

 

Divulgação das inscrições homologadas e da lista dos/as candidatos/as que farão prova de proficiência 18 de junho de 2018
Prova de proficiência 20 de junho de 2018

Das 08:30h às 11:30h. Local a ser divulgado

Resultado da prova de proficiência 25 de junho de 2018
Período de análise do projeto, do currículo, do memorial e período da arguição, a ser marcada pelo orientador 25 de junho de 2018 a

17 de julho de 2018

Divulgação do resultado da análise do projeto, do currículo, do memorial e da arguição 20 de julho de 2018
Solicitação de recurso 23 de julho de 2018

Presencialmente na Secretaria da PGET,

das 08h às 11h

Resultado final 27 de julho de 2018
  1. O/A candidato/a concorrerá a uma das vagas abertas pelo/a professor/a que tiver indicado como possível orientador/a no momento de sua inscrição.

 

  1. O resultado final contemplará a lista dos/as candidatos/as classificados/as com a indicação da nota final obtida e a indicação daqueles/as que forem aprovados/as.

 

  1. Serão classificados/as os/as candidatos/as que obtiverem, no mínimo, a nota 7,0 (sete) na avaliação de cada item (projeto, memorial, arguição e currículo). Serão considerados/as desclassificados/as os/as candidatos/as com nota inferior a 7,0 (sete). Serão considerados/as aprovados/as os/as candidatos/as classificados/as que obtiverem a média geral mais alta dentro do número de vagas para cada possível orientador/a indicado/a.

 

  1. Em caso de empate, serão considerados os seguintes critérios para o desempate: maior nota no projeto e maior idade.

 

  1. Caso alguma vaga não conte com aprovados/as, essa vaga não será necessariamente disponibilizada a qualquer outro/a candidato/a classificado/a.

 

  1. Os recursos das decisões e avaliações previstas deverão ser devidamente encaminhados à Comissão do processo de seleção por escrito, conforme estipulado no item 15.

 

  1. Os/As candidatos/as aprovados/as deverão efetuar a matrícula no prazo estipulado pela coordenação do Programa. Caso algum/a candidato/a aprovado/a não realize a matrícula no Programa, a Comissão poderá chamar outro/a candidato/a classificado/a para a mesma linha de pesquisa da vaga não preenchida.

 

  1. Os casos omissos serão resolvidos pela Comissão de Seleção.

 

 

Dirce Waltrick do Amarante

Coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Estudos da Tradução


 

Bibliografias sugerida para elaboração do projeto

  

 

Prof. Alckmar Luiz dos Santos

 

BERMAN, Antoine. A tradução e a letra ou o albergue do longínquo. Tradução de Marie-Hélene C. Torres, Mauri Furlan, Andréia Guerini. – 2a ed. – Tubarão: Copiart; Florianópolis: PGET/UFSC, 2013. Disponível em:https://repositorio.ufsc.br/bitstream/handle/123456789/178888/Antoine_Berman_-_Traducao_e_a_Letra_2a%20ed_2013.pdf?sequence=1&isAllowed=y

_______________ . A prova do estrangeiro: cultura e tradução na Alemanha romântica. Trad. Maria Emília Pereira Chanut. Bauru, SP: EDUSC, 2002.

MESCHONNIC, Henri. Pourlapoétique II. Épistémologie de l’écriture – Poétique de latraduction. Paris: Gallimard, 1973.

CHOCIAY, Rogério. Teoria do verso. São Paulo: McGraw-Hill do Brasil, 1974.

MATTOSO, Glauco. O sexo do verso. Disponível em http://www.elsonfroes.com.br/sexodoverso.pdf. Acesso em 17/04/2018.

BRITTO, Paulo Henriques. “O conceito de contraponto métrico em versificação”. Disponível em http://www.letras.puc-rio.br/media/filemanager/professores/paulo_britto/O%20conceito%20de%20contraponto%20metrico%20em%20versificacao.pdf. Acesso em 17/04/2018.

 

 

Profa. Alinne Fernandes

 

Bastos, Beatriz; O’Shea, Jose Roberto (eds). Contemporary Irish theatre: a dynamic collection of critical voices.In: Ilha do Desterro, n. 58 (2010). Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/desterro/issue/view/1536

Goodman, L.; de Gay, J. (eds.). The Routledge Reader in Gender and Performance (London & New York: 1998).

Fernandes, Alinne. Between words and silences: translating for the stage and the enlargement of paradigms. In: ScientiaTraductionis, n. 7 (2010). Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/scientia/article/view/1980-4237.2010n7p119

Kearney, Richard. Strangers, Gods and Monsters: Interpreting Otherness (London and New York: Routledge, 2003).

Pavis, Patrice. Theatre at the Crossroads of Culture, trans. by Loren Kruger (London and New York: Routledge, 1992).

Quaderns: Revista de Traducció – Dossier: La traduccióenescena. n. 19 (2012), Barcelona, UAB. Disponível em: https://dialnet.unirioja.es/revista/1582/A/2012

 

Profa. Andrea Cesco

 

BERMAN, Antoine. A tradução e a letra ou o albergue do longínquo. Tradução de Marie-Hélène Catherine Torres, Mauri Furlan, Andréia Guerini. Rio de Janeiro: 7Letras/PGET, 2007.

BRITTO, Paulo Henriques. A tradução literária. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2012.

BURKE, Peter; Po-chia Hsia, R.A tradução cultural. Tradução Roger Maioli dos Santos. São Paulo: Editora UNESP, 2009.

CAMPOS, Haroldo de. Da tradução como criação e como crítica.  In: Metalinguagem e outras metas. São Paulo: Editora Perspectiva, 1992.

LEFEVERE, Andre. Tradução, reescrita e manipulação da fama literária. Bauru: Edusc, 2007. Tradução de Claudia Matos Seligmann.

PYM, Anthony. Explorando Teorias da Tradução. Tradução de Rodrigo Borges de Faveri, Claudia Borges de Faveri, Juliana Steil. 1ª ed. São Paulo: Perspectivas, 2017.

 

 

Profa. Andréia Guerini

 

BENJAMIN, Walter. A Tarefa do Tradutor [Die AufgabedesÜbersetzers] Trad. Susana Kampff Lages in. HEIDERMANN, Werner. Clássicos da Teoria da Tradução – Volume 1 – Alemão-Português. Florianópolis: UFSC, 2010. Disponível em: https://repositorio.ufsc.br/bitstream/handle/123456789/178909/Werner_Heidermann_%28Org.%29._Classicos_da_Teoria_da_Traducao_-_Alemao-Portugues.pdf?sequence=1&isAllowed=y

BERMAN, Antoine. A tradução e a letra ou o albergue do longínquo. Tradução de Marie-Hélene C. Torres, Mauri Furlan, Andréia Guerini. – 2a ed. – Tubarão: Copiart; Florianópolis: PGET/UFSC, 2013. Disponível em: https://repositorio.ufsc.br/bitstream/handle/123456789/178888/Antoine_Berman_-_Traducao_e_a_Letra_2a%20ed_2013.pdf?sequence=1&isAllowed=y

CAMPOS, Haroldo de. Campos, Haroldo de. “Da tradução como criação e como crítica.” In Campos, Haroldo de. Metalinguagem e outras metas. São Paulo: Perspectiva, 2006, pp. 31-48.

LAMBERT, José. “Em busca dos mapa-múndi das literaturas”. In Guerini, Andréia.; Torres, Marie-Hélène.; Costa, Walter Carlos (Orgs.) Literatura & tradução : textos selecionados de José Lambert. Rio de Janeiro: 7 Letras, 2008, pp. 2011, pp. 17-38. Disponível em: https://repositorio.ufsc.br/bitstream/handle/123456789/178897/Jose%20Lambert%20Literatura%20e%20traducao%202011.pdf?sequence=1&isAllowed=y

LAMBERT, José. “Produção, tradição e importação: uma chave para a descrição da literatura e da literatura em tradução”. In Cadernos de Tradução, v. 35, 2015, p. 44-55. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/traducao/article/view/2175-7968.2015v35nesp1p44/29193

SCHLEIERMACHER, Friedrich. Sobre os diferentes métodos de tradução [Über die verschiedenenMethodendesÜbersetzens]Trad. Celso Braida. In: HEIDERMANN, Werner. Clássicos da Teoria da Tradução – Volume 1 – Alemão-Português. Florianópolis: UFSC, 2010. Disponível em: https://repositorio.ufsc.br/bitstream/handle/123456789/178909/Werner_Heidermann_%28Org.%29._Classicos_da_Teoria_da_Traducao_-_Alemao-Portugues.pdf?sequence=1&isAllowed=y

 

Prof. Carlos Henrique Rodrigues

 

ALVES, F.; MAGALHÃES, C.; PAGANO, A. Competência em Tradução: cognição e discurso. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2005.

PAGANO, A. (Org.) Metodologias de Pesquisa em Tradução. Belo Horizonte: FALE-UFMG, 2001. Disponível em: <http://www.letras.ufmg.br/site/e-livros/Metodologia%20de%20Pesquisa%20em%20Tradu%C3%A7%C3%A3o.pdf>.

QUADROS, R. M. Tradução e Interpretação de Línguas de Sinais. Cadernos de Tradução, Florianópolis, v. 2, n. 26, out., 2010. Disponível em: <https://periodicos.ufsc.br/index.php/traducao/issue/view/1508/showToc>.

RODRIGUES, C. H.; QUADROS, R. M. Estudos da Tradução e da Interpretação de Línguas de Sinais. Cadernos de Tradução, Florianópolis, v. 35, n. 2, jul/dez 2015, edição especial. Disponível em: <https://periodicos.ufsc.br/index.php/traducao/issue/view/2296/showToc>.

RODRIGUES, C. H. Competência em tradução e línguas de sinais: a modalidade gestual-visual e suas implicações para uma possível competência tradutória intermodal. Trabalhos em Linguística Aplicada, [S.l.], v. 57, n. 1, p. 287-318, mar. 2018. Disponível em: <https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/tla/article/view/8651578>.

 

 

Profa. Evelyn Schuler Zea

 

CAMPOS, Haroldo de. 2004. “Da tradução como criação e como crítica.” In: ____. Metalinguagem e outras metas. São Paulo: Perspectiva.

FRANCHETTO, Bruna. 2012. Línguas ameríndias: Modos e caminhos de tradução. Cadernos de Tradução. V. 2. N. 30. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/traducao/issue/view/1922/showToc

SEVERI, Carlo. 2014. “Transmutating Beings”. Artigo no Dossiê: Translating worlds: The epistemological space of translation. HAU, JournalofEthnographicTheory– Vol4, No 2. Disponível em: http://www.haujournal.org/index.php/hau/issue/view/hau4.2 – Tradução de Felipe Neis Araújo) “Seres transmutantes” disponível em Ilha – Revista de Antropologia– Vol. 19, n.1 2017. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/ilha/article/view/2175-8034.2017v19n1p217

KOPENAWA, Davi & ALBERT, Bruce. 2015. A queda do céu. Palavras de um xamã yanomami. Tradução de Beatriz Perrone-Moisés. São Paulo: Companhia das Letras.

KRENAK, Ailton. 2017. “Indios em Movimento”; “A Humanidade que pensamos ser”, “Um possível outro mundo”. In: ____. Ailton Krenak. Rio de Janeiro: Azougue.

SCHULER ZEA, Evelyn. 2012. “A inquietude do tradutor”. Artigo no Dossiê: Tradução e Antropologia. Cadernos de Tradução. V. 2. N. 30. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/traducao/issue/view/1922/showToc

 

 

Prof. Gilles Jean Abes

 

BERMAN, Antoine. A tradução e a letra ou o albergue do longínquo. Tradução de Marie-Hélene C. Torres, Mauri Furlan, Andréia Guerini. – 2a ed. – Tubarão: Copiart; Florianópolis: PGET/UFSC, 2013. Disponível em: https://repositorio.ufsc.br/bitstream/handle/123456789/178888/Antoine_Berman_-_Traducao_e_a_Letra_2a%20ed_2013.pdf?sequence=1&isAllowed=y

BRITTO, Paulo Henriques. A tradução literária. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2012.

BURKE, Peter; Po-chia Hsia, R. A tradução cultural. Tradução Roger Maioli dos Santos. São Paulo: Editora UNESP, 2009.

CAMPOS, Haroldo de. Da tradução como criação e como crítica.  In: Metalinguagem e outras metas. São Paulo: Editora Perspectiva, 1992.

FALEIROS, Álvaro. Traduzir o poema. – Cotia, SP: Ateliê Editorial, 2012.

HEIDERMANN (org.). Clássicos da teoria da tradução. – Florianópolis: UFSC, Núcleo de Pesquisas em Literatura e Tradução, 2010. Disponível em: https://repositorio.ufsc.br/bitstream/handle/123456789/178909/Werner_Heidermann_%28Org.%29._Classicos_da_Teoria_da_Traducao_-_Alemao-Portugues.pdf?sequence=1&isAllowed=y

LARANJEIRA, Mário. Poética da tradução. – São Paulo: EDUSP, 2003.

 

 

Profa. Marie Hélène C. Torres

 

BERMAN, Antoine. A Prova do Estrangeiro. Cultura e Tradição na Alemanha Romântica. São Paulo: EDUSC, 2002. Tradução de Maria Emília Pereira Chanut.

BERMAN, Antoine. A tradução e a letra ou o albergue do longínquo. Tradução de Marie-Hélene C. Torres, Mauri Furlan, Andréia Guerini. – 2a ed. – Tubarão: Copiart; Florianópolis: PGET/UFSC, 2013. Disponível em: https://repositorio.ufsc.br/bitstream/handle/123456789/178888/Antoine_Berman_-_Traducao_e_a_Letra_2a%20ed_2013.pdf?sequence=1&isAllowed=y

COSTA, Walter Carlos, GUERINI, Andréia; TORRES, Marie-Hélène (orgs.). Ensaios de Literatura & Tradução – textos selecionados de José Lambert. Rio de Janeiro: 7Letras, 2011. Disponível em: https://repositorio.ufsc.br/bitstream/handle/123456789/178897/Jose%20Lambert%20Literatura%20e%20traducao%202011.pdf?sequence=1&isAllowed=y

LAMBERT, José. “Produção, tradição e importação: uma chave para a descrição da literatura e da literatura em tradução”. In Cadernos de Tradução, v. 35, 2015, p. 44-55. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/traducao/article/view/2175-7968.2015v35nesp1p44/29193

MESCHONNIC, Henri. Poética do traduzir. São Paulo: Perspectiva, 2010. Tradução de Jerusa Pires Ferreira e Suely Fenerich.

PYM, Anthony.Exploring Translation Theories. London and New York: London: Routledge, 2010.

TOURY, Gideon.Descriptive Translation Studies and Beyond.Revised Edition. Amsterdam: John Benjamins, 2012.

 

 

Profa. Neiva de Aquino Albres

 

BASSNETT, Susan. Estudos da tradução. Tradução de Vivina de Campos Figueiredo. Lisboa: CalousteGulbenkian, 2003.

SOBRAL, Adail. Dizer o ‘mesmo’ a outros: ensaios sobre tradução. São Paulo: Special Book Services Livraria, 2008.

SILVA, Heber de Oliveira Costa e. Tradução e Dialogismo: um estudo sobre o papel do tradutor na construção do sentido. UFPE: Recife, 2011.

VIEIRA, Else Ribeiro Pires (org.) Teorizando e contextualizando a tradução. Belo Horizonte: Curso de Pós-Graduação em Estudos Linguísticos da FALE/UFMG. 1996.

RODRIGUES, C. H.; QUADROS, R. M. Estudos da Tradução e da Interpretação de Línguas de Sinais. Cadernos de Tradução, Florianópolis, v. 35, n. 2, jul/dez 2015, edição especial. Disponívelem:https://periodicos.ufsc.br/index.php/traducao/issue/view/2296/showToc

SOUZA-JUNIOR, José Ednilson Gomes de. Tradução e interpretação das Línguas de Sinais. Belas Infiéis, v. 5, n. 1, 2016. Disponível em: http://periodicos.unb.br/index.php/belasinfieis/issue/view/1352/showToc

 

 

Prof. Pedro Heliodoro Tavares

 

BENJAMIN, Walter. A Tarefa do Tradutor [Die AufgabedesÜbersetzers] Trad. Susana Kampff Lages in. HEIDERMANN, Werner. Clássicos da Teoria da Tradução – Volume 1 – Alemão-Português. Florianópolis: UFSC, 2010. Disponível em: https://repositorio.ufsc.br/bitstream/handle/123456789/178909/Werner_Heidermann_%28Org.%29._Classicos_da_Teoria_da_Traducao_-_Alemao-Portugues.pdf?sequence=1&isAllowed=y

BERMAN, Antoine. A tradução e a letra ou o albergue do longínquo. Tradução de Marie-Hélene C. Torres, Mauri Furlan, Andréia Guerini. – 2a ed. – Tubarão: Copiart; Florianópolis: PGET/UFSC, 2013. Disponível em: https://repositorio.ufsc.br/bitstream/handle/123456789/178888/Antoine_Berman_-_Traducao_e_a_Letra_2a%20ed_2013.pdf?sequence=1&isAllowed=y

GUERINI, Andréia e & COSTA, Walter Carlos Costa (org.s) Sobre discurso e tradução. Tubarão: Ed. Copiart ; Florianópolis : PGET/UFSC, 2014. Disponível em: http://www.pget.ufsc.br/BibliotecaDigital/Andreia%20Guerini,%20Walter%20Carlos%20Costa.%20Sobre%20Discurso%20e%20Traducao.pdf

MARTINS, Claudia Santana. A autotradução como método de reflexão em Flusser. Florianópolis. ScientiaTraductionis, n.9, 2011.

SCHLEIERMACHER, Friedrich. Sobre os diferentes métodos de tradução [Über die verschiedenenMethodendesÜbersetzens]Trad. Celso Braida. In: HEIDERMANN, Werner. Clássicos da Teoria da Tradução – Volume 1 – Alemão-Português. Florianópolis: UFSC, 2010. Disponível em: https://repositorio.ufsc.br/bitstream/handle/123456789/178909/Werner_Heidermann_%28Org.%29._Classicos_da_Teoria_da_Traducao_-_Alemao-Portugues.pdf?sequence=1&isAllowed=y

TAVARES, Pedro Heliodoro M. B.. O vocabulário metapsicológico de Sigmund Freud: da língua alemã às suas traduções.Pandaemonium ger. [online]. 2012, vol.15, n.20.

 

 

Profa. Rachel Sutton-Spence

 

AZEVEDO, Diego Napoleão Viana; VASCONCELLOS, Maria Lúcia Barbosa de.  Formação de tradutores: a contribuição da terminologia para uma proposta de desenho de ementa de disciplina a partir de abordagem por tarefa de tradução. Traduzires 4, p41-52 – 2013. Disponível emhttp://periodicos.unb.br/index.php/traduzires/article/view/11671/0

GILE, Daniel. Testando a hipótese da “corda bamba” do modelo dos esforços na interpretação simultânea – uma contribuição. Tradução de: MarkusJohannesWeininger, Giovana Bleyer Ferreira dos Santos, Diego Maurício Barbosa. Cadernos de Tradução, v. 35, n. 2 (2015), p. 590-647. Disponível em:https://periodicos.ufsc.br/index.php/traducao/article/view/2175-7968.2015v35nesp2p590

KARNOPP, Lodenir (2010) produções culturais de surdos- análise de literatura surda. Cadernos de Educação, Ano 19, No 36, Educação de Surdos (p155-174). Disponível em:http://periodicos.ufpel.edu.br/ojs2/index.php/caduc/article/viewFile/1605/1488

PYM Anthony. Exploring translation theories.Tradução do capítulo “Descriptions – theintellectual background”, que complementa o capítulo 5 do livro “ExploringTranslationsStudies” (2010), de Anthony Pym. (Tradução de: Eduardo César Godarth, Yéo N’gana e Bernardo Sant’Anna, Universidade Federal de Santa Catarina.). Disponível em: http://dx.doi.org/10.5007/2175-7968.2016v36n3p214

RODRIGUES, Carlos Henrique. A interpretação simultânea entre línguas e modalidades. Veredas atemática Volume 17 nº 2 – 2013, p. 266-286. Disponível em:http://www.ufjf.br/revistaveredas/files/2014/04/14%C2%BA-ARTIGO.pdf

SOUZA, Saulo Xavier (2009). ‘Traduzibilidade poética na interface Libras-Português: Uns aspectos linguísticos e tradutórios com base em Bandeira Brasileira de Pimenta (1999)’. In: Quadros, Ronice Müller de (Ed.). Estudos Surdos I. Petrópolis RJ: Arara Azul, 2009.

SUTTON-SPENCE, R.; QUADROS, R.M. (2014) Performance Poética em Sinais: o que a audiência precisa para entender a poesia em sinais. Em Série Estudos de Língua de Sinais Volume II. Organizadores: Marianne Stumpf, Ronice Müller de Quadros e Tarcísio de Arantes Leite. Pp 207-228 .

 

 

Profa. Silvana Aguiar dos Santos

 

FROHLICH, L. R. Análise do Perfil Legal do Ofício do Tradutor Jurídico no Brasil. Languageand Law/Linguagem e Direito, v. 2, p. 72-89, 2015. Disponível em: http://ojs.letras.up.pt/index.php/LLLD/article/view/2404/2200. Acesso em: 17 mar. 2018.

GINEZI, Luciana Latarini. A ética na interpretação de tribunal: o Brasil no banco dos réus. Tradterm, São Paulo, v. 20, p. 27-42, dec. 2012. ISSN 2317-9511. Disponível em: <http://www.revistas.usp.br/tradterm/article/view/49040>. Acessoem: 17 mar. 2018.

PANDA, A. K. Politics and translation. The Criterion An International Journal in English, v. IV, issue II, 2013. p.1-7.

ROBERSON, L; RUSSELL, D; SHAW, R. American Sign Language/English interpreting in legal settings: Current practices in North America. Journal of Interpretation,v. 21, n. 1, p. 6, 2011. Disponívelem:
<https://digitalcommons.unf.edu/cgi/viewcontent.cgi?referer=https://scholar.google.com.br/&httpsredir=1&article=1000&context=joi>. Acessoem: 14 abr. 2018.

NAPIER, J; HAUG, T.A European overview of sign language interpreting provision in legal settings.Dublin: InteresourceGroupPublishing, 2015.

RODRIGUES, C. H.; QUADROS, R. M. Estudos da Tradução e da Interpretação de Línguas de Sinais. Cadernos de Tradução, Florianópolis, v. 35, n. 2, jul/dez 2015, edição especial

 

 

Prof. Walter Carlos Costa

 

Borges, Jorge Luis. As versões homéricas. Tradução de Josely Vianna Baptista. In Discussão (1932). São Paulo: Companhia das Letras, 2008, pp. 103-110.

Campos, Haroldo de. Campos, Haroldo de. “Da tradução como criação e como crítica.” In Campos, Haroldo de. Metalinguagem e outras metas. São Paulo: Perspectiva, 2006, pp. 31-48.

Lambert, José. “Em busca dos mapa-múndi das literaturas”. In Guerini, Andréia.; Torres, Marie-Hélène.; Costa, Walter Carlos (Orgs.) Literatura & tradução : textos selecionados de José Lambert. Rio de Janeiro: 7 Letras, 2008, pp. 2011, pp. 17-38. Disponível em: https://repositorio.ufsc.br/bitstream/handle/123456789/178897/Jose%20Lambert%20Literatura%20e%20traducao%202011.pdf?sequence=1&isAllowed=y

Britto, Paulo Henriques. “Padrão e desvio no pentâmetro jâmbico inglês: um problema para a tradução”. Guerini, Andréia.; Torres, Marie-Hélène.; Costa, Walter Carlos (Orgs.). Literatura traduzida e literatura nacional. Rio de Janeiro: 7 Letras, 2008, pp. 133-144.

Guerini, Andréia. “L’Infinito”: tensão entre teoria e prática na tradução de Haroldo de Campos. In Cadernos de Tradução v.2, n. 6, 2000, pp. 259-270, 2000. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/traducao/article/view/5684/5184

Freitas, Luana Ferreira de & Costa, Cynthia Beatrice. Machado contista em antologias em língua inglesa. Cadernos de Tradução, Florianópolis, v. 35, nº 1, pp. 69-85, jan- jun/ 2015. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/traducao/article/view/2175-7968.2015v35n1p69/29541

Torres, Marie-Hélène Catherine. Traduzir o Brasil literário Vol. 1. Tradução de MarlovaAseff& Eleonora Castelli. Tubarão: Copiart, 2011. Disponível em: https://repositorio.ufsc.br/bitstream/handle/123456789/178902/Marie-Helene_Catherine_Torres_-_Traduzir_o_Brasil_Literario.pdf?sequence=1&isAllowed=y

 

 

Prof. Werner Heidermann

 

Arrojo, R. Oficina de tradução: a teoria na prática. São Paulo: Ática 1986.

Britto, Paulo Henriques. “Desconstruir para quê?” In: Cadernos de tradução VIII 2001, p. 41-50. Disponível em:  https://periodicos.ufsc.br/index.php/traducao/article/view/5883/5563

Frota, Maria Paula: “Um balanço dos Estudos da Tradução no Brasil”. In: Cadernos de tradução XIX, 2007, p. 135-169. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/traducao/article/view/6996

Heidermann, Werner (org.). Clássicos da teoria da tradução. Volume 1 Alemão-Português. 2ª edição. Florianópolis: UFSC/PGET 2010. Disponível em: https://repositorio.ufsc.br/bitstream/handle/123456789/178909/Werner_Heidermann_%28Org.%29._Classicos_da_Teoria_da_Traducao_-_Alemao-Portugues.pdf?sequence=1&isAllowed=y

Kretschmer, Johannes/Lima, Fabio/KampffLages, Susana/de Bruchard, Dorothée (orgs.).Os lugares da tradução. Niterói: UFF/Instituto de Letras 2017.

Nord, Christiane: Análise textual em tradução: bases teóricas, métodos e aplicação didática. Tradução e adaptação coordenadas por Meta Elisabeth Zipser. São Paulo: Rafael Copetti Editor 2016.

 

 


ANEXO I

 

 

 

FORMULÁRIO DE AUTODECLARAÇÃO ÉTNICO-RACIAL PRETO/PARDO

PROCESSO SELETIVO DOS CURSOS DE MESTRADO E DOUTORADO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ESTUDOS DA TRADUÇÃO/UFSC 2018.2

 

Eu___________________________________________________________________________ RG____________________________________, CPF_________________________, declaro, para o fim específico de atender ao item 3 do Edital de Seleção para ingresso no Programa de Pós-Graduação em Estudos da Tradução da Universidade Federal de Santa Catarina em 2018.2, que estou apta/o a concorrer à vaga destinada a candidatas/os autodeclaradas/os PRETO / PARDO.

 

Estou ciente de que se for detectada falsidade na declaração, estarei sujeito/a às penalidades previstas em lei.

 

Data:

Assinatura:___________________________________________________

 

 

 

ANEXO II

 

 

 

FORMULÁRIO DE AUTODECLARAÇÃO ÉTNICO-RACIAL INDÍGENA

PROCESSO SELETIVO DOS CURSOS DE MESTRADO E DOUTORADO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ESTUDOS DA TRADUÇÃO/UFSC 2018.2

 

Eu___________________________________________________________________________ RG____________________________________, CPF_________________________, declaro, para o fim específico de atender ao item 3 do Edital de Seleção para ingresso no Programa de Pós-Graduação em Estudos da Tradução da Universidade Federal de Santa Catarina em 2018.2, que estou apta/o a concorrer à vaga destinada a candidatas/os autodeclaradas/os INDÍGENA.

 

Declaro pertencer à etnia _________________________, da Aldeia __________________,

localizada no município de _______________________________________, Estado de _________________________________________

 

 

Estou ciente de que se for detectada falsidade na declaração, estarei sujeito/a às penalidades previstas em lei.

 

Data:

Assinatura:___________________________________________________

 

 

 

ANEXO III

 

Tabelas de avaliação

 

30% nota: projeto de pesquisa

30% nota: memorial

30% nota: arguição

10% nota: Currículo Lattes

 

  1. PROJETO DE PESQUISA

 

ITENS 1 2 3 4 5
Qualidade da redação (clareza, objetividade, correção)          
Adequação à Linha de Pesquisa e ao assunto          
Originalidade          
Teoria e metodologia          
Viabilidade de realização do projeto          
Pontuação Total (somatório dos pontos obtidos)  
NOTA (pontuação total multiplicada por 0,4)  
             

 

  1. MEMORIAL

 

ITENS 1 2 3 4 5
Qualidade da redação (clareza, objetividade, correção)          
Capacidade de síntese          
Organização do texto (estrutura)          
Interpretação das próprias experiências          
Relação entre as experiências relatadas no memorial

e o projeto de pesquisa

         
Pontuação Total (somatório dos pontos obtidos)  
NOTA (pontuação total multiplicada por 0,4)  
             

 

 

  1. ARGUIÇÃO

 

ITENS 1 2 3 4 5
Clareza e objetividade na apresentação          
Capacidade de síntese          
Conhecimento teórico e prático demonstrado

durante a arguição

         
Capacidade de argumentar com consistência teórico-metodológica sobre os objetivos da pesquisa e sobre

a relevância da mesma para os Estudos da Tradução

         
Adequação da linguagem          
Pontuação Total (somatório dos pontos obtidos)  
NOTA (pontuação total multiplicada por 0,4)  
             

 

 

  1. CURRÍCULO

 

  Pontuação    Quantidade Pontuação atingida
Livros e ou tradução de livros (acima 100 pg.)

 

30    
Capítulos de livros e ou tradução de capítulos de livros

 

20    
Artigos e ou resenhas em periódicos acadêmicos e ou tradução de resenhas e

artigos em periódicos acadêmicos

 

20    
Palestras, conferências, mini-cursos ministrados

 

10    
Comunicação em evento

 

5    
Participação em evento como ouvinte

 

2    

Pontuação Total:

Nota:

 

[1] RESOLUÇÃO NORMATIVA Nº 52/CUn/2015, DE 16 DE JUNHO DE 2015 (republicada com alterações promovidas pela Resolução nº 22/CUn, de 8 de setembro de 2015). Disponível emhttps://repositorio.ufsc.br/bitstream/handle/123456789/135174/Resolu%C3%A7%C3%A3o_Normativa_52.pdf?sequence=1&isAllowed=y